Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Dez de 2017 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Otan vai integrar coalizão contra o grupo Estado Islâmico - Jornal Brasil em Folhas
Otan vai integrar coalizão contra o grupo Estado Islâmico


O países da Otan concordaram, nesta quarta-feira, em integrar como organização a coalizão internacional que luta contra os extremistas do grupo Estado Islâmico (EI), um pedido de Washington que deverá ser confirmado na quinta-feira em uma cúpula dos mandatários da Aliança.

Os embaixadores da Otan acabam de tomar a decisão de se unir como organização à coalizão, que agora deverá ser confirmada pelos chefes de Estado e de Governo no encontro de quinta-feira, indicou à AFP uma fonte diplomática.

Os Estados Unidos querem que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) se torne - como organização - membro desta coalizão internacional contra os extremistas na Síria e no Iraque, da qual já participam 28 países-membros a nível individual.

Há algum tempo Washington solicitava a entrada da Aliança e o presidente americano, Donald Trump, queria consegui-lo em sua primeira cúpula. E parece que conseguiu.

Esta fonte diplomática explicou que os embaixadores acordaram um plano de ação contra o terrorismo, que inclui a entrada da Otan na coalizão internacional contra o EI e uma expansão dos voos Awacs.

A Otan forneceu até o momento, como organização observadora, um suporte secundário à coalizão por meio de missões de reconhecimento com seus aviões Awacs no céu da Turquia e o treinamento de oficiais iraquianos.

O novo plano significa que os Awacs não só vão monitorar o céu, como também irão coordenar os voos sobre a Síria e o Iraque, mas apenas aqueles que não estiverem ligados a bombardeios, afirmou a fonte, que pediu anonimato.

Países como a Itália e a França se opunham a esta entrada para não desgastar a imagem da Aliança, já prejudicada pelos bombardeios em 2011 na Líbia, que deixaram uma má recordação nos países árabes, segundo a fonte diplomática.

- Um passo realmente importante -

Para os Estados Unidos, a entrada da Otan na coalizão contra o EI representa um passo realmente importante, nas palavras de seu chefe da Diplomacia, Rex Tillerson, antes de saber da decisão dos embaixadores.

A luta contra o terrorismo era uma das principais críticas de Trump contra a Otan.

O secretário-geral da organização, Jens Stoltenberg, assinalou durante a manhã que a Aliança tinha que fazer mais pela luta anti-terrorista depois do atentado extremista de Manchester, que custou a vida de 22 pessoas.

O presidente da primeira potência militar mundial também criticou que seus sócios transatlânticos não investem o suficiente em Defesa, chegando a questionar o princípio de ajuda mútua da Otan em caso de ataque a um de seus membros.

O presidente quer realmente que os aliados intensifiquem suas obrigações e aumentem o seu gasto militar nacional para 2%, como se comprometeram a fazer em um prazo de 10 anos, em uma cúpula no País de Gales em 2014, indicou Tillerson, advertindo que o discurso de Trump será muito duro nesse sentido.

Sobre o compromisso de defesa coletiva, estampado no Artigo 5 do Tratado de Washington, o chefe da Diplomacia destacou que é claro que os EUA o apoiam e lembrou que Washington foi o primeiro e único a invocá-lo depois dos atentados de 11 de setembro.

 

Últimas Notícias

Estádio Olímpico recebe Paradesportivos
Vinil Black Album de Prince reaparece com valores astronômicos
Vaticano lançará portal que reunirá todos os seus veículos
Três anúncios para um crime lidera indicações ao SAG
Vida parou na região birmanesa dos rohinyas, alerta Cruz Vermelha
Vice do Equador condenado a seis anos de prisão no caso Odebrecht
Trump não serve para limpar sanitários da biblioteca de Obama, diz jornal
Trump diante do tapa eleitoral do Alabama

MAIS NOTICIAS

 

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
 
 
Petrobras quer que Gleisi Hoffmann devolva R$ 1 milhão aos cofres da empresa
 
 
Marun quer finalizar CPMI da JBS antes da posse na Secretaria de Governo
 
 
Maia diz que não colocará Previdência em pauta sem ter votos para aprovação
 
 
Kassab afirma que extinção da faixa AM de rádio será um processo natural
 
 
Justiça Eleitoral torna inelegível por 8 anos o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 4018-8212