Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Ago de 2017 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 STF pede à PGR parecer sobre continuidade de investigação contra Admar Gonzaga - Jornal Brasil em Folhas
STF pede à PGR parecer sobre continuidade de investigação contra Admar Gonzaga


O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou à Procuradoria-Geral da República o processo em que o ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), é suspeito de ter agredido fisicamente sua mulher, Élida Souza Matos. Caberá à PGR dar um parecer pela continuidade ou arquivamento do caso.

Mello determinou ainda, na noite de terça-feira (28), a retirada do segredo de Justiça que vigorava sobre a procedimento penal aberto para apurar o caso. Segundo o despacho do ministro, os autos do processo descrevem “delitos de lesões corporais e de injúria alegadamente cometidos em contexto de violência doméstica e familiar contra a mulher”.

Na madrugada da última sexta-feira (23), Élida foi à 1ª Delegacia de Polícia de Brasília e abriu um boletim de ocorrência descrevendo o que teriam sido agressões físicas de Gonzaga. Segundo agentes de polícia ouvidos pela Agência Brasil, ela apresentava um machucado na região dos olhos e chegou a ser encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito.

À tarde, no mesmo dia, o advogado Antônio Carlos de Almeida de Castro, o Kakay, que disse representar ambos, informou que o casal retornou à delegacia, onde Élida fez uma retratação da ocorrência, visando o arquivamento da queixa. Apesar disso, o caso foi encaminhado ao STF, porque Admar Gonzaga tem foro por prerrogativa de função.

Celso de Mello ressaltou que tal retratação “não possui qualquer eficácia em relação ao noticiado delito de lesões corporais”. O ministro do STF destacou o entendimento firmado pela súmula 542 do Superior Tribunal de Justiça (STJ), segunda a qual a “ação penal relativa ao crime de lesão corporal resultante de violência doméstica contra a mulher é pública incondicionada”. Isso quer dizer que a abertura de investigação independe da vontade da vítima.

Por meio de nota, Kakay negou que tenha havido agressão física no episódio. Segundo o advogado, houve um desentendimento com “exasperação por ambos os lados”, motivado por ciúmes.

Admar Gonzaga foi nomeado para o cargo de ministro do TSE pelo presidente Michel Temer em março. No início deste mês, ele votou pela absolvição no julgamento em que o PSDB pedia ao TSE a cassação da chapa Dilma-Temer.

 

Últimas Notícias

Para Barroso, cidadão deve saber quanto juiz recebe: ganho R$ 23 mil
HBO oferece U$250 mil como pagamento de recompensa a hackers, diz Variety
HBO teria oferecido recompensa para hackers
Brasil ganha concurso latino-americano de integração de espaços interativos
Imagens de satélite sugerem que Pyongyang prepara teste de míssil submarino
Gert se transforma em furacão no Atlântico, a 720 km das ilhas Bermudas
EUA: empresa contesta ordem judicial de obtenção de dados de internautas
Trump volta a atacar Amazon por empregos perdidos

MAIS NOTICIAS

 


CIDADES
Agetul diz que não ‘vê motivo’ para indenizar vítimas Mutirama

O presidente Agetul, Alexandre Magalhães, responsável pelo Parque Mutirama, disse que “não vê motivo” para indenizar as 13 pessoas que se feriram depois de um problema no brinquedo Twister.

 
 
ESPORTE
Neymar evita mal-estar com o Barcelona na apresentação no PSG

Suas primeiras palavras como jogador do Paris Saint Germain (PSG) giraram em torno de uma única ideia. “Quero desafios maiores”, repetiu Neymar em sua apresentação aos meios de comunicação em uma sala de imprensa lotada.

 
 
POLÍTICA
Partidos da base pressionam Temer por cargos de infiéis em votação

Partidos da base aliada de Michel Temer que votaram em massa a favor do presidente, derrubando a denúncia da Procuradoria-Geral da República.

 
 
MUNDO
George Pell se defende: abuso sexual é abominável

O Cardeal George Pell afirmou nesta quinta-feira que entraria de licença do Vaticano para retornar à Austrália e lutar contra as acusações de abuso sexual infantil.

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 4018-8212