Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Dez de 2017 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Relator da denúncia contra Temer precisa ser independente, diz presidente da CCJ - Jornal Brasil em Folhas
Relator da denúncia contra Temer precisa ser independente, diz presidente da CCJ


O presidente da Comissão de Constituição e de Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), disse hoje (27) que o parlametar que assumir a relatoria da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer terá que ter conhecimento jurídico e independência. Ele disse que a escolha do relator será feita por ele logo somente quando a denúncia chegar à comissão.

“Os critérios para a escolha do relator são ter conhecimento jurídico, ter relativa independência em relação aos interesses em jogo, porque isso é fundamental; a sobreposição dos critérios jurídicos e técnicos sobre os critérios políticos. Além de ter assiduidade na comissão”, disse o presidente da CCJ. Segundo ele, o relator poderá ser um deputado da base aliada do governo, do próprio PMDB ou da oposição, “mas que tenha relativa independência em suas posições”, acrescentou.

Tramitação

Para ser autorizada a abertura da investigação contra um presidente da República, são necessários os votos de 342 deputados, ou seja, dois terços dos 513 deputados federais. Se esse número de votos não for atingido, a denúncia será arquivada. Antes, porém, a denúncia precisa ser analisada pela CCJ.

Pacheco explicou que, logo que a denúncia chegar à Câmara, será encaminhada a Temer uma notificação dando o prazo de até 10 sessões da Casa para a apresentação da defesa. Em seguida, o relator deverá apresentar seu parecer em até cinco sessões, que será discutido e votado na CCJ. Só então será feita a discussão e votação do parecer da comissão no plenário da Câmara, quando poderá ser aprovada ou rejeitada a abertura de investigação. Pacheco acredita que será possível concluir o processo em 30 dias.

O presidente da CCJ também criticou a substituição do atual representante do Solidariedade na comissão, o deputado Major Olímpio (SP), que tem posições contrária a do governo. A mudança foi feita pelo líder da legenda, deputado Áureo (RJ). “Não acho adequado que haja substituição de um membro efetivo da CCJ, que lá está trabalhando, só porque ele tem entendimento em relação a determinado tema”, disse.

 

Últimas Notícias

Estádio Olímpico recebe Paradesportivos
Vinil Black Album de Prince reaparece com valores astronômicos
Vaticano lançará portal que reunirá todos os seus veículos
Três anúncios para um crime lidera indicações ao SAG
Vida parou na região birmanesa dos rohinyas, alerta Cruz Vermelha
Vice do Equador condenado a seis anos de prisão no caso Odebrecht
Trump não serve para limpar sanitários da biblioteca de Obama, diz jornal
Trump diante do tapa eleitoral do Alabama

MAIS NOTICIAS

 

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
 
 
Petrobras quer que Gleisi Hoffmann devolva R$ 1 milhão aos cofres da empresa
 
 
Marun quer finalizar CPMI da JBS antes da posse na Secretaria de Governo
 
 
Maia diz que não colocará Previdência em pauta sem ter votos para aprovação
 
 
Kassab afirma que extinção da faixa AM de rádio será um processo natural
 
 
Justiça Eleitoral torna inelegível por 8 anos o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 4018-8212