Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Ago de 2017 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Psicólogos que elaboraram as torturas da CIA vão a julgamento nos EUA - Jornal Brasil em Folhas
Psicólogos que elaboraram as torturas da CIA vão a julgamento nos EUA


Dois psicólogos que ajudaram a elaborar o programa de interrogatórios dos detidos da CIA depois dos ataques de 11 de setembro de 2001 irão a julgamento por incentivar o uso de métodos de tortura

Dois psicólogos que ajudaram a elaborar o programa de interrogatórios dos detidos da CIA depois dos ataques de 11 de setembro de 2001 irão a julgamento por incentivar o uso de métodos de tortura como o afogamento simulado e a colocação de prisioneiros em posições estressantes.

Juízes federais do estado de Washington ordenaram a realização de um julgamento com júri, em resposta a um processo de três ex-réus - entre os quais um morreu em uma prisão da CIA depois de duros interrogatórios - e rejeitando os esforços para obrigar a arquivar o caso e evitar uma audiência completa.

O processo, apresentado pela União Americana de Liberdades Civis (ACLU), será o primeiro a envolver o programa de torturas em um julgamento, que será realizado em setembro.

O governo conseguiu evadir iniciativas anteriores com o argumento de que é necessário proteger informações delicadas de inteligência.

O caso envolve os psicólogos James Mitchell e Bruce Jessen, que foram recrutados pela CIA em 2002 para ajudar a preparar e realizar os interrogatórios de suspeitos no âmbito da guerra contra o terrorismo capturados no Afeganistão e em outros lugares.

- Dia histórico -

Os dois receberam 80 milhões de dólares por seu trabalho, que incluía ajudar a interrogar Khalid Sheikh Mohammed, o cérebro dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, atribuídos ao grupo extremista Al-Qaeda, e Abu Zubaydah, outro alto membro da organização.

A ACLU alega que Jessen e Mitchell foram responsáveis, e se beneficiaram economicamente, da tortura ilegal do tanzaniano Suleiman Abdullah Salim, do líbio Mohamed Ahmed Ben Soud e do afegão Gul Rahman.

Os dois primeiros foram libertados após anos de prisão, e Rahman morreu de hipotermia em uma cela de uma prisão da Agência Central de Inteligência americana (CIA) em novembro de 2002, depois do que a ACLU denunciou como duas semanas de tortura brutal.

Este é um dia histórico para nossos clientes e todos os que buscam a prestação de contas pela tortura, indicou o advogado da ACLU Dror Ladin em um comunicado.

A decisão da corte implica que, pela primeira vez, as pessoas responsáveis pelo brutal e ilegal programa de torturas da CIA enfrentarão uma responsabilidade legal pelo que fizeram. Nossos clientes esperaram muito tempo por justiça, afirmou Ladin.

O tribunal descartou os argumentos da defesa dos psicólogos de que eles não eram responsáveis por todas as atividades nas sessões da CIA e não tinham nada a ver com os interrogatórios de dois dos homens envolvidos.

Os acusados também alegaram, entre outras coisas, que não eram responsáveis por tomar as decisões de utilizar as chamadas técnicas de interrogatório melhoradas nos casos específicos desses três detidos, senão que apenas proporcionaram à CIA uma lista de métodos a serem escolhidos.

 

Últimas Notícias

Moradores do Rosa dos Ventos comemoram chegada da nova Unidade Básica de Saúde
Samsung anuncia lucro recorde e caminha para superar Apple
Vendas da Amazon crescem, mas investimentos fazem lucro recuar
Nave tripulada Soyuz MS-05 decola rumo à Estação Espacial Internacional
Missão científica chega à Estação Espacial Internacional
Tesla apresenta seu primeiro carro popular
Geólogos encontram novas pistas sobre maior extinção mundial
NASA fará teste de defesa da Terra com asteroide real em 12 de outubro

MAIS NOTICIAS

 


CIDADES
Agetul diz que não ‘vê motivo’ para indenizar vítimas Mutirama

O presidente Agetul, Alexandre Magalhães, responsável pelo Parque Mutirama, disse que “não vê motivo” para indenizar as 13 pessoas que se feriram depois de um problema no brinquedo Twister.

 
 
ESPORTE
Neymar evita mal-estar com o Barcelona na apresentação no PSG

Suas primeiras palavras como jogador do Paris Saint Germain (PSG) giraram em torno de uma única ideia. “Quero desafios maiores”, repetiu Neymar em sua apresentação aos meios de comunicação em uma sala de imprensa lotada.

 
 
POLÍTICA
Partidos da base pressionam Temer por cargos de infiéis em votação

Partidos da base aliada de Michel Temer que votaram em massa a favor do presidente, derrubando a denúncia da Procuradoria-Geral da República.

 
 
MUNDO
George Pell se defende: abuso sexual é abominável

O Cardeal George Pell afirmou nesta quinta-feira que entraria de licença do Vaticano para retornar à Austrália e lutar contra as acusações de abuso sexual infantil.

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 4018-8212