Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Ago de 2017 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Japonesa de 82 anos prova que nunca se é muito velho para criar aplicativos - Jornal Brasil em Folhas
Japonesa de 82 anos prova que nunca se é muito velho para criar aplicativos


Na primeira vez, eu me emocionei ao ver a tela funcionar com o programa que eu criei, declarou Masako Wakamiya, 82 anos, revelando uma alegria quase infantil quando fala de sua paixão pela informática.

Desde que se aposentou, esta ex-bancária se diverte com um PC e, mais recentemente, um Mac e um smartphone. A mulher que viveu nos anos 60, 70 e 80 o auge do Japão como potência tecnológica, foi este ano a participante mais veterana na conferência dos desenvolvedores da Apple.

Masako Wakamiya é a criadora do programa lúdico para iPhone Hinadan, inspirado no tradicional Festival de Bonecas Hina Matsuri.

Todo 3 de março, os japoneses expõem em uma plataforma de vários níveis bonecas que representam os membros da corte imperial do período Heian (séculos IX a XII) em suas casas, escolas e qualquer outro lugar onde haja meninas.

O palco em forma de escada se instala dias antes de 3 de março e se desmonta nessa mesma noite porque senão, segundo a crença popular, as meninas do lugar podem ficam solteiras quando crescerem.

Em Hinadan, o jogador tem que colocar as bonecas (o imperador, a imperatriz, etc.) no lugar correto. Não há limite de tempo, porque isso seria muito estressante para os idosos, explica Masako Wakamiya, ajoelhada em um tatame em frente à uma tela no seu apartamento de Fujisawa, na periferia de Tóquio.

Seu primeiro encontro com a informática foi no início dos anos 1990. Nessa época trocava mensagens através do sistema BBS, precursor dos fóruns modernos, lembra a octogenária.

- Do ábaco ao Skype -

Quando se começou a desenvolver os smartphones, Masako Wakamiya pensou que não havia aplicativos suficientes para os idosos. Falou com desenvolvedores, sem sucesso. Até que um conhecido lhe perguntou: Por que você mesma não faz isso?, conta.

A idosa, que durante décadas contou com um soroban (ábaco japonês), se apoiou em livros e pediu conselhos a um amigo que já tinha desenvolvido aplicativos, com quem se comunicava por Skype.

Foi tudo muito rápido. Desenvolvido entre 2016 e o início de 2017, Hinadan foi aceito pela Apple e lançado em fevereiro, pouco antes do Hina Matsuri.

Escrever as linhas de código foi difícil, reconhece antes de destacar a simplicidade das ferramentas recentes, que considera muito boas para descobrir as falhas nos programas.

Quando se envelhece, se perde muitas coisas: o marido, o salário, o cabelo, a visão... Há muitos menos. Mas quando se aprende algo, a programar ou a tocar piano, são mais. O que não sabíamos fazer até ontem, hoje dominamos. É uma motivação, se entusiasma.

- Ocupada demais para envelhecer -

Wakamiya acaba de voltar dos Estados Unidos e da Rússia, e se prepara para ir a uma conferência em Sapporo, no norte do Japão.

A empreendedora, cujo aplicativo foi baixado 42.000 vezes, foi a convidada especial do diretor-executivo da Apple na Conferência Mundial de Desenvolvedores que foi realizada na Califórnia no início de junho.

Falei com Tim Cook sobre aspectos muito concretos. Ele me perguntou o que eu tinha feito para garantir que as pessoas mais velhas pudessem usar o aplicativo. Expliquei que levei em conta o fato de que os idosos perdem a audiência e a visão, e seus dedos podem não funcionar tão bem, conta.

Ele me elogiou. Me disse que eu era uma fonte de inspiração para ele, diz com orgulho.

Em Hinadan, as respostas geram sons muito diferentes e acompanhados na tela pelas palavras erro ou certo, e não é necessário arrastar a boneca com o dedo, mas clicar no lugar escolhido.

O sucesso deu ainda mais energia a Masako-san, que prevê versões do seu aplicativo em inglês, chinês e francês. Quero aprender as bases da programação, porque até agora só estudei os elementos necessários para criar o Hinadan.

O objetivo: Desenvolver outros aplicativos que possam entreter os mais velhos e transmitir aos jovens a cultura e a tradição dos idosos, afirma, lamentando que sua agenda não lhe deixe muito tempo para mergulhar nos manuais de desenvolvimento que colocou ao lado do seu computador.

Quando você termina sua vida profissional, seria bom voltar à escola. A maioria dos idosos abandonam a ideia de aprender, mas isso não é bom só para eles mas também para a economia do país, diz Wakamiya, que começou a tocar piano aos 75 anos e é membro de várias associações para promover a informática entre os idosos.

Estou tão ocupada todos os dias que não tenho tempo para descobrir se tenho alguma doença, diz risonha.

 

Últimas Notícias

O que Neymar pode nos ensinar sobre carreira
Mesmo sem vitórias na Alemanha, KRT assegura pódio em Lausitzring
Agehab participa de Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social em São Paulo
Marconi elogia parceria entre Caixa e Agehab
Deputado Marlúcio confirma que recebeu convite do PTB
Em encontro com Marconi, embaixador da Alemanha diz que Goiás tem potencialidades excelentes
Gustavo anuncia cumprimento do Plano de Carreira dos servidores da saúde
Sindacse elogia esforço de Gustavo em atender demandas dos agentes de saúde

MAIS NOTICIAS

 


CIDADES
Agetul diz que não ‘vê motivo’ para indenizar vítimas Mutirama

O presidente Agetul, Alexandre Magalhães, responsável pelo Parque Mutirama, disse que “não vê motivo” para indenizar as 13 pessoas que se feriram depois de um problema no brinquedo Twister.

 
 
ESPORTE
Neymar evita mal-estar com o Barcelona na apresentação no PSG

Suas primeiras palavras como jogador do Paris Saint Germain (PSG) giraram em torno de uma única ideia. “Quero desafios maiores”, repetiu Neymar em sua apresentação aos meios de comunicação em uma sala de imprensa lotada.

 
 
POLÍTICA
Partidos da base pressionam Temer por cargos de infiéis em votação

Partidos da base aliada de Michel Temer que votaram em massa a favor do presidente, derrubando a denúncia da Procuradoria-Geral da República.

 
 
MUNDO
George Pell se defende: abuso sexual é abominável

O Cardeal George Pell afirmou nesta quinta-feira que entraria de licença do Vaticano para retornar à Austrália e lutar contra as acusações de abuso sexual infantil.

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 4018-8212