Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Ago de 2017 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Geólogos encontram novas pistas sobre maior extinção mundial - Jornal Brasil em Folhas
Geólogos encontram novas pistas sobre maior extinção mundial


Londres, 31 jul (EFE). - O calor desprendido de rochas incandescentes pode ser uma possível causa para a maior extinção mundial, há quase 252 milhões de anos, conforme um estudo divulgado nesta segunda-feira na revista Nature.

O trabalho foi liderado por James Muirhead, pesquisador associado do Departamento de Ciências da Universidade de Artes e Ciências da Universidade de Syracuse, junto com o geólogo Seth Burgess e o professor de Geologia do Instituto de Tecnologia de Massachusetts Samuel Bowring, todos nos Estados Unidos.

De acordo com as pesquisas, a formação de rochas incandescentes gerou uma série de eventos que desembocaram no encerramento do Permiano, pertencente à Era Paleozóica. Nesse processo, mais de 95% das espécies marinhas e 70% das terrestres foram extintas.

Foram cinco grandes extinções desde que a vida na Terra se originou, há mais de 600 milhões de anos. A maior parte desses eventos foi atribuída a erupções vulcânicas e impactos de asteroides. Ao voltar a examinar os tempos e as conexões entre o magmatismo - movimento de lava -, a mudança climática e a extinção, criamos um modelo que explica o que desencadeou a extinção em massa do final do período Permiano, afirmou Burgess.

No centro da pesquisa estão os chamados Trapps siberianos, que formam uma grande região de rocha vulcânica, conhecida como Grande Região Ígnea, na Sibéria. Esta região foi o centro de quase 1 milhão de anos de atividade vulcânica, segundo o estudo, que espalharam volumes significativos de lava, cinzas e gás, ao mesmo tempo em que empurraram sulfureto, dióxido de carbono e metano até atingir níveis perigosos para o meio ambiente.

Segundo Muirhead, a investigação sugere que os fluxos de lava da superfície aconteceram muito rápido para provocar uma extinção em massa e acrescenta que em vez disso, houve um subintervalo de magmatismo que desencadeou a cachoeira de eventos que ocasionaram a extinção em massa.

O calor desprendido das rochas incandescentes expulso de sedimentos ricos em gás, que entraram em contato com o metamorfismo, liberaram enormes quantidades de gases causadores do efeito estufa necessárias para provocar a extinção, disse Muirhead.

Segundo o investigador, seu modelo de estudo vincula o começo da extinção com o pulso inicial do local das rochas incandescentes e representa um momento crítico na evolução da vida na Terra . EFE

 

Últimas Notícias

O que Neymar pode nos ensinar sobre carreira
Mesmo sem vitórias na Alemanha, KRT assegura pódio em Lausitzring
Agehab participa de Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social em São Paulo
Marconi elogia parceria entre Caixa e Agehab
Deputado Marlúcio confirma que recebeu convite do PTB
Em encontro com Marconi, embaixador da Alemanha diz que Goiás tem potencialidades excelentes
Gustavo anuncia cumprimento do Plano de Carreira dos servidores da saúde
Sindacse elogia esforço de Gustavo em atender demandas dos agentes de saúde

MAIS NOTICIAS

 


CIDADES
Agetul diz que não ‘vê motivo’ para indenizar vítimas Mutirama

O presidente Agetul, Alexandre Magalhães, responsável pelo Parque Mutirama, disse que “não vê motivo” para indenizar as 13 pessoas que se feriram depois de um problema no brinquedo Twister.

 
 
ESPORTE
Neymar evita mal-estar com o Barcelona na apresentação no PSG

Suas primeiras palavras como jogador do Paris Saint Germain (PSG) giraram em torno de uma única ideia. “Quero desafios maiores”, repetiu Neymar em sua apresentação aos meios de comunicação em uma sala de imprensa lotada.

 
 
POLÍTICA
Partidos da base pressionam Temer por cargos de infiéis em votação

Partidos da base aliada de Michel Temer que votaram em massa a favor do presidente, derrubando a denúncia da Procuradoria-Geral da República.

 
 
MUNDO
George Pell se defende: abuso sexual é abominável

O Cardeal George Pell afirmou nesta quinta-feira que entraria de licença do Vaticano para retornar à Austrália e lutar contra as acusações de abuso sexual infantil.

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 4018-8212