Norte-coreana volta arrependida para casa após fugir ao Sul

0 Shares
0
0
0
0

Uma norte-coreana voltou ao seu país depois de ter fugido para a Coreia do Sul, e apareceu na televisão do regime comunista manifestando seu arrependimento e rasgando o livro de memórias que escreveu para promover o cristianismo.

O site oficial da Coreia do Norte, Uriminzokkiri, divulgou no sábado um vídeo de Son Ok-Sun, de 50 anos. Nele a mulher diz se lamentar por ter fugido à China no ano 2000 e manifesta sua decepção com a vida na Coreia do Sul, onde chegou em 2007. Neste país publicou suas memórias, nas quais contava sua fuga e sua conversão ao cristianismo.

Quero me sacrificar pela reunificação das duas Coreias, conta a mulher, que em seguida rasga as páginas de seu livro, Em busca da luz, publicado sob o pseudônimo de Esther Joo.

Este livro foi escrito sob instigação dos inimigos, para apresentar a mãe pátria sob um ângulo negativo, acrescenta um comentarista, enquanto a mulher, que não se sabe quando voltou à Coreia do Norte, rasga seu livro.

Son também explica que muitas coisas na Coreia do Norte melhoraram desde que partiu, e afirma que a Coreia do Sul é um país minado pela corrupção e pelos conflitos trabalhistas, e com uma taxa de suicídios muito alta.

No vídeo, de 20 minutos, ela aparece passeando por Pyongyang, extasiada diante dos grandes edifícios e também em um aquário.

No total, segundo a imprensa sul-coreana, 15 norte-coreanos que haviam fugido voltaram ao seu país desde 2011.

O líder norte-coreano, Kim Jong-Un, tenta fazer as pessoas que fugiram voltarem, apresentando a elas um indulto, além de um trabalho.

Aquelas que retornam costumam aparecer nos meios de comunicação oficiais, uma tática com a qual o regime tenta encorajar outras pessoas a fazerem o mesmo.

O número de norte-coreanos que fogem ao Sul caiu a 1.277 em 2015, contra 2.700 em 2011, o que coincide com o reforço das fronteiras instituído por Kim Jong-Un, segundo dados do ministério sul-coreano da Reunificação.

O líder norte-coreano chegou ao poder em dezembro de 2011, após o falecimento de seu pai e antecessor, Kim Jong-Il. – BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 1158

0 Shares
You May Also Like