Imperatriz ganha público e crítica ao retratar cultura de Goiás na Sapucaí

0 Shares
0
0
0
0

A Imperatriz Leopoldinense arrebatou público e crítica ao retratar, no Desfile das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, as tradições culturais e religiosas de Goiás nas alas, carros e alegorias criados para homenagear a carreira da dupla sertaneja goiana Zezé di Camargo e Luciano, tema do samba-enredo da agremiação do Carnaval 2016. A escola de Ramos levou para a Marquês de Sapucaí, na madrugada de segunda para esta terça-feira (9/2), as cavalhadas, a Festa do Divino Pai Eterno, a vida do homem no campo e as festas de peão, decisivas para a construção da identidade de Goiás e do interior do Brasil.

Com o tema É o amor… Que mexe com minha cabeça e me deixa assim… Do sonho de um caipira nascem os filhos do Brasil, a Imperatriz Leopoldinense ganhou a atenção dos espectadores ao integrar a sanfona à execução do samba-enredo. A escola encerrou o desfile sob os gritos de “A campeã voltou!” – a última vez que a agremiação conquistou o título de melhor escola do Carnaval Carioca foi em 2001.

Além dos versos da composição que projetou Zezé di Camargo e Luciano no Brasil, a Imperatriz também usou trechos de Romaria, de Renato Teixeira, para exaltar o brasileiro caipira. O governador Marconi Perillo e a primeira-dama, Valéria Perillo, assistiram ao desfile da Imperatriz para prestigiar a homenagem que a escola prestou à dupla sertaneja e às tradições de Goiás no Sambódromo.

O Governo de Goiás não patrocinou com recursos públicos, nem direta nem indiretamente ou com incentivos, a apresentação da agremiação. A administração estadual prestou apenas apoio institucional ao desfile, por compreender que a homenagem é um reconhecimento da importância cultural do Estado no cenário nacional e por sua importância na promoção da economia do turismo no Estado.

O apoio institucional ao desfile integra a política estadual de incentivo e promoção da cultura goiana. Segundo dados disponíveis no Portal da Transparência do Estado, em 2015 o Governo de Goiás investiu R$ 57,4 milhões no setor. O montante engloba repasse de recursos para formação artística, atividades de fomento, lei de incentivo, fundo cultural, além de projetos de valorização e promoção da cultura goiana.

Os investimentos em cultura foram executados por meio de três pastas: Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), Secretaria de Desenvolvimento (SED) e Goiás Turismo. Somente a Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esporte (Seduce), que concentra as ações de promoção e incentivo à cultura aplicou R$ 40 milhões no setor no ano passado – um recorde, apesar da crise econômica nacional e do forte ajuste fiscal promovido pelo governo estadual para amenizar o impacto da queda na arrecadação sobre as contas públicas.

Segundo o balanço da Seduce, em 2015 os programas e ações na área da cultura receberam investimentos da ordem de R$ 40 milhões. O destaque dos investimentos é dos projetos goianos aprovados pelo Fundo de Arte e Cultura: 205 projetos receberam incentivos da ordem de R$ 25 milhões, também um recorde na comparação com os anos anteriores. Os investimentos são resultado do compromisso do governo Marconi Perillo de aprofundar a valorização da produção cultural genuinamente goiana.

A carreira da dupla, a música sertaneja, o brasileiro caipira e as tradições culturais goianas foram retratados pela Imperatriz sob os temas Sonho Caipira (1.º setor), Terra – Semeando Sonhos (2.º setor), Música – Mãe Sertaneja (3.º) Fé e Folclore – Pirenópolis (4.º), Filhos de Francisco e Helena (5.º) e Os Filhos do Brasil (6.º setor), cada um com versos do samba-enredo executados com acordes de sanfona. – BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 2999

0 Shares
You May Also Like