Ministério Público reabre investigação sobre compra de caças suecos

0 Shares
0
0
0
0

A Procuradoria da República do Distrito Federal reabriu a investigação sobre a compra dos caças suecos Gripen, oficializada pela FAB (Força Aérea Brasileira) em 2014. Há suspeitas de superfaturamento e corrupção de agentes públicos.
O inquérito original havia sido arquivado no ano passado por falta de provas. A decisão de dar continuidade à apuração ocorreu com o surgimento de novos indícios de irregularidades, durante a Operação Zelotes, que mira em um suposto esquema de compra de medidas provisórias. Réu na ação penal originária da Zelotes, Mauro Marcondes atuou como lobista da empresa SAAB, fabricante dos caças, junto ao governo brasileiro, de acordo com a Procuradoria da República.
“A suspeita é que a atuação (do lobista) possa ter envolvido a corrupção de agentes e ex-agentes públicos”, afirma o Ministério Público Federal.
A aquisição das aeronaves, cujas negociações começaram durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, custou R$ 4,7 bilhões (em valores de janeiro de 2015).
Procurador responsável pelo inquérito, Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, pedirá à FAB e à empresa SAAB que enviem informações atualizadas a respeito do caso. A primeira investigação visou descobrir se houve irregularidade no fato de o Brasil ter requisitado uma tela única principal na cabine de comando do Gripen, alterando a configuração original, que conta com três displays para gerenciamento do voo e dos sistemas do avião. – BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 2726

0 Shares
You May Also Like