TV Escola faz campanha com vídeos de estudantes sobre combate ao Aedes aegypti

0 Shares
0
0
0
0

Alunos e professores de todo o Brasil têm mais uma forma de ajudar no combate ao mosquito Aedes aegypti. Com a campanha Xô Mosquito, a TV Escola, canal educativo do Ministério da Educação (MEC) está recebendo vídeos relacionados à erradicação do vetor dos vírus da dengue, do zika e da febre chikungunya. O material está sendo distribuindo nas redes sociais e é uma forma de estimular o debate dentro das escolas.

A intenção é que os envolvidos na produção reflitam sobre os riscos trazidos pelo mosquito e que boas ideias vindas de escolas – públicas e privadas – e de universidades sejam disseminadas e copiadas pelo país. Os vídeos podem ser feitos com celular, de forma artesanal e devem ter no máximo dois minutos de duração. O importante é que esteja dentro do tema de combate ao mosquito. O material deve ser enviado para o e-mail: [email protected]

Quatro alunos da Escola Estadual Professor Lordão, no município de Picuí, na Paraíba, aceitaram o desafio e fizeram um vídeo sobre os locais que podem virar criadouros do mosquito. “Aqui em Picuí, todo mundo conhece alguém que já teve dengue. Mas agora o negócio ficou mais sério com o zika e a microcefalia”, disse o gestor do colégio, Robson Rubenilson. Ele propôs aos estudantes a execução do vídeo, visualizado mais de 4,7 mil vezes.

Rubenilson conta que o Aedes já é um problema local há muitos anos, mas que as escolas procuram envolver a família dos estudantes nas ações contra o vetor. “O problema é tão grave que agora temos uma funcionária que é a fiscal do mosquito, que faz vistoria na escola em busca de criadouros”, explica.

Narrado em um vídeo com ilustrações, o cordel feito por Anne Karollyne, do Instituto Federal de Goiás, já teve 8,6 mil visualizações na página da TV Escola no Facebook.
Estudantes do Instituto Federal de Goiás produziram um vídeo em cordel com orientações sobre o combate ao Aedes aegypti

Estudantes do Instituto Federal de Goiás produziram um vídeo em cordel com orientações sobre o combate ao Aedes aegypti

Minha gente, o que é que é isso?
Essa zika tá demais
Tá matando os idosos, e os nenezinhos jovens demais
Tá virando epidemia de dimensões nacionais

Eu fico arrepiado ao ver o noticiário
É muita gente doente a cada dia do calendário
Os jornais só dizem isso, não estão dizendo o contrário

Tem mulher que tá gestante e o perigo é maior
Porque o bebê que carrega pode ter a cabeça menor
Essa microcefalia não podia ser pior

Esse mosquitinho Aedes é pequeno no tamanho, mas é avassalador
Preto e branco, todo estranho,
Está lascando todo mundo, se vejo um me acanho

Lá em casa uso raquete para tentar exterminar
Tem tela em toda janela para o mosquito não entrar
E a gente usa repelente, ô peste vai-te pra lá

A gente tenta evitar qualquer água acumulada
Não tem pneu nem garrafa, a caixa dágua é fechada
E a cisterna lá de fora sempre está bem tapada

Deus o livre ter a Zika, vou até me benzer
Chikungunya muito menos, essa é que não quero ter
A dengue é para passar longe, dessa não quero saber

Como pode um inseto menor que minha unha, transmitir febre amarela, dengue e chikungunya?
O mosquito é a peste, só pode ser sua alcunha
Transmitir informação é a foram mais segura de ajudar na prevenção

Com cordel e cultura, muito cuidado minha gente pra não levar picadura
Vamos acabar com o Aedes, o mosquito não tem vez
Chega de tanta doença, dia a dia, mês a mês
Eu já to me prevenindo, e aí, como estão vocês

A TV Escola é uma televisão pública que também tem conteúdo distribuída na internet. Na televisão, ela é distribuída por satélite aberto, analógico e digital, para todo o território nacional. Segundo o MEC atinge de 15 a 20 milhões de antenas parabólicas e também é distribuída pelas operadoras de TV por assinatura. – BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 3901

0 Shares
You May Also Like