Banqueiro russo se declara culpado de espionagem nos EUA

0 Shares
0
0
0
0

Indiciado por espionagem pela Justiça de Nova York, o banqueiro russo Evgeny Buryakov se declarou culpado nesta sexta-feira de ter operado como agente do Estado russo sem ter-se identificado como tal.

O objetivo é evitar um processo midiático e potencialmente problemático para ambos os países.

Hoje, a Promotoria e a defesa do acusado decidiram que seria apropriado aplicar uma pena de dois anos e meio de prisão combinada a multa entre 10.000 e 100.000 dólares.

Inicialmente, Evgeny havia-se declarado inocente.

Neste processo, o russo pode ser sentenciado a uma pena máxima de cinco anos de prisão.

O julgamento começa em 4 de abril, e o juiz federal Richard Berman anuncia sua sentença em 25 de maio.

De janeiro a maio de 2013, o FBI (Polícia Federal americana) monitorou as atividades de espiões russos em Nova York. Os grampos foram feitos com pequenos gravadores plantados em tapetes – segundo os documentos apresentados na última terça pela Promotoria.

Com sua confissão, agora, muito provavelmente, Evgeny Buryakov evitará um julgamento público, no qual informações sigilosas acabariam sendo divulgadas.

Buryakov foi detido em janeiro de 2015, acusado de trabalhar para Moscou, fazendo-se passar por um banqueiro em Nova York e suspeito de trabalhar com os também espiões Igor Sporyshev e Victor Podobnyy. Um deles integrava uma missão comercial russa, e outro era delegado na ONU.

Sporyshev e Podobnyy gozavam de imunidade diplomática e conseguiram sair dos Estados Unidos.

A estratégia permitiu ao FBI ouvir os espiões russo por horas, quando recebiam ordens de Moscou e forneciam informações para a agência de Inteligência russa no Exterior, a SVR.

O agente de FBI foi abordado por um dos russos em busca de informação industrial sobre petróleo e gás em 2012, em troca de dinheiro e presentes. – BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 5865

0 Shares
You May Also Like