Emater participa da 2ª Expotec Embrapa

0 Shares
0
0
0
0

Técnicos, extensionistas, estudantes e entidades ligadas ao setor agropecuário conheceram as novas tecnologias e pesquisas desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) durante a 2ª Expotec Embrapa, que terminou na última sexta-feira, dia 18. Com o tema Sistemas de produção de grãos, a Embrapa apresentou alguns trabalhos desenvolvidos por seus especialistas, entre eles novas cultivares de BRS de algodão e soja para o Cerrado, a tecnologia clearfield no arroz, ocorrência de mico na cultura do feijão, a absorção de gás carbono e gases do efeito estufa em sistemas integrados e plantio direto.

Durante a abertura do evento, o presidente da Emater, Pedro Arraes, falou do desequilíbrio existente no meio rural e de como pesquisa e extensão rural podem auxiliar num projeto de melhoria de renda. “Temos tentado trabalhar uma pesquisa mais adaptativa. Nosso objetivo, junto com a Embrapa e iniciativa privada, é alcançar os 85 mil pequenos estabelecimentos rurais que precisam aumentar sua renda, visto que eles apresentam renda bruta de até cinco salários mínimos”, destacou o presidente.
Emater-participa-da-2ª-Expotec-Embrapa-300×199

Exposição teve como tema Sistemas de produção de grãos. Foto: Emater / Nivaldo Ferr

Outro alerta ressaltado por Pedro Arraes é o acesso a novas tecnologias do campo. “Ao todo, Goiás conta com 115 mil estabelecimentos rurais. Desse número, apenas duas mil propriedades são consideradas grandes estabelecimentos em temos de renda bruta. Isso tem refletido muito na área de pesquisa e inovação, já que a tecnologia desenvolvida para facilitar e fomentar a vida no campo não é acessível a todos do meio rural. Por tal motivo, ações como essa e parcerias como a da Emater e Embrapa são cruciais”, explicou o presidente.

Entre amigos
Sobre a importância de eventos que fomentem a área de pesquisa e inovação rural no Estado, o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural da Emater, Antelmo Teixeira Alves, destacou a parceria entre a entidade e a Embrapa. “É crucial que as entidades que trabalham em prol da pesquisa e inovação rural estejam alinhadas. O trabalho em conjunto é muito importante para o desenvolvimento da área visto que a pesquisa é uma questão de segurança alimentar”, enfatizou o diretor. – BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 6574

0 Shares
You May Also Like