Aloysio: Venezuela não está em condições de assumir o Mercosul

Redação Redação

“A Venezuela não está em condições de assumir essa função”. Foi assim que o presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), reagiu à autoproclamação da Venezuela como país que presidirá o Mercosul.

“O governo venezuelano não cumpriu o cronograma de incorporação das normas de seu Protocolo de Adesão [ao Mercosul], admitindo que não incorporará mais de 100 normas a tempo para cumprir o prazo estabelecido no protocolo”, disse o tucano em mensagem ao colegiado lida pelo senador Lasier Martins (PDT-RS) nesta quinta-feira (4).

Desde 1991, a cada seis meses, a presidência pro tempore do bloco é transferida de um país a outro, sempre por ordem alfabética. Neste novo semestre, em condições normais, o comando do Mercosul deveria ser assumido por Caracas.

“O Uruguai insiste que a presidência deve ser transferida para a Venezuela. Felizmente, nem Brasil, nem Argentina e muito menos o Paraguai aceitam essa hipótese. A manifestação do governo brasileiro foi pela rejeição da autoproclamação da presidência venezuelana”, registrou ainda Aloysio Nunes.

UNASUL

A mensagem do parlamentar paulista também falou da proximidade do fim do mandato de Ernesto Samper na secretaria-geral da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL), que será no próximo dia 20 de agosto.

“Francamente espero que ele não seja reconduzido no cargo”, escreveu. “Ele não teve uma postura correta em relação ao Brasil. Vetou o nome de Nelson Jobim para chefiar a missão de observadores eleitorais na Venezuela no ano passado. Veio a Brasília, às vésperas da votação do impeachment na Câmara, para participar de atos políticos incompatíveis com seu papel de funcionário internacional”, completou. – BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 15303

A BRASIL EM FOLHAS utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para recomendar conteúdo e publicidade. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições. Aceitar Consulte mais informação

Política de Privacidade e Cookies