Nova York ultrapassa Londres e é a cidade mais cara do mundo para morar e trabalhar

Redação Redação

Um estudo realizado pela empresa Savills, o Live-Work Index, mostrou que Londres já não lidera o ranking de cidades mais caras do mundo para se morar e trabalhar. O levantamento, que compara os custos totais que as multinacionais têm ao alocar funcionários nos últimos 12 meses em uma base per capita nas principais cidades do mundo, reuniu as 20 cidades mais oneradas para o bolso dos habitantes, com valores que variam de US$ 19 mil a US$ 114 mil.

Segundo a companhia, a capital britânica, que estava há dois anos no topo da lista, costumava apresentar altos custos devido à força de sua economia e também, à grande demanda de espaços por seus ocupantes. O cenário, porém, mudou quando o Reino Unido optou pela saída da União Europeia, resultando na redução de custos para ocupação em dólares e no aumento de sua competitividade com o mercado mundial.

Enquanto isso, os preços de aluguel em Nova York, tanto para moradia quanto para escritórios, subiram gradativamente. De acordo com o levantamento, o custo para um funcionário morar e trabalhar em Nova York subiu 2% com relação aos valores apresentados em 2015, chegando a US$ 114.010,00. Este percentual, por outro lado, caiu 11% em Londres, resultando em um valor total de US$ 100.141,00.

Com relação ao Rio de Janeiro, cidade que ocupa a 20ª posição, a companhia afirma que apesar das condições econômicas adversas, que prejudicaram o mercado imobiliário como um todo, a surpreendente força do Real fez com que os custos totais de moradia e local de trabalho caíssem 5% na moeda local. – BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 15543

A BRASIL EM FOLHAS utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para recomendar conteúdo e publicidade. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições. Aceitar Consulte mais informação

Política de Privacidade e Cookies