Os 5 assuntos que vão agitar o mercado nesta terça-feira

0 Shares
0
0
0
0

Nesta terça-feira (9), o mercado vai acompanhar de perto as votações no Congresso da renegociação das dívidas dos estados e municípios (Câmara dos Deputados) e do parecer do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (Senado), que testará a força política do governo. Os investidores também podem olhar para os dados de vendas no varejo no Brasil em junho. Confira o que é destaque nesta terça:

1. Bolsas mundiais As bolsas mundiais têm um dia de leve alta; na Europa, os mercados avançam pelo quinto dia seguido na esteira dos resultados corporativos do segundo trimestre e repercutindo os dados da produção industrial do Reino Unido. A produção industrial do Reino Unido teve leve alta de 0,1% em junho ante maio, segundo dados publicados hoje pelo Escritório para Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês). Na comparação anual, houve aumento de 1,6% na produção da indústria britânica em junho. Já na Ásia, os mercados avançam com a inflação ao consumidor na China, que desacelerou em julho a 1,8% em termos anuais, mostrando deflação menor e sinalizando estabilização da economia.

Às 07h56, este era o desempenho dos principais índices:

* FTSE 100 (Reino Unido) +0,33%

* CAC-40 (França) +0,46%

*DAX (Alemanha) +0,56%

* Nikkei (Japão) 225 +0,69% (fechado)

*Xangai (China) +0,72% (fechado)

*Hang Seng (Hong Kong) -0,13% (fechado)

*Dow Jones Futuro (EUA) +0,07%

*Petróleo brent +0,35%, a US$ 45,55 o barril

2. Votações no Congresso Hoje às 9h (horário de Brasília), o Senado votará o parecer do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) que recomendou a continuidade do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. A sessão deve durar 20 horas. De acordo Evandro Buccini, economista da Rio Bravo Investimentos, será importante observar a proporção dos votos. Números acima de 54 a favor do impeachment farão a Bolsa subir ou se manter estável. Abaixo disso haverá um impacto bem negativo, afirma.

Membros do governo interino esperam que entre 58 e 62 senadores votem a favor de levar processo de impeachment de Dilma para ser julgado no plenário do Senado, segundo uma pessoa da equipe de Michel Temer disse à Bloomberg. Segundo jornais, aliados de Dilma tentarão suspender a sessão de pronúncia no Senado que dará prosseguimento ao impeachment, a ser comandada por Ricardo Lewandowski.

Também nesta terça deve ocorrer a votação na Câmara dos Deputados da renegociação das dívidas de estados e municípios, uma das primeiras medidas de ajuste fiscal que o governo Temer quer urgentemente ver aprovadas. Na semana passada, a falta de quórum impediu que a medida fosse votada apesar das concessões feitas pelo governo como ao não proibir a concessão de reajustes nos salários dos servidores pelos governadores e prefeitos.

O destaque será o conteúdo do texto aprovado, explica Buccini. Na sua opinião, quanto mais restritivo for em relação aos gastos que os governadores poderão realizar, melhor para o mercado. Vale lembrar que boa parte da volatilidade na Bolsa esta semana se deveu ao grande número de concessões realizadas pelo governo para garantir a aprovação da medida.

3. Agenda de Indicadores Às 9h, o IBGE divulga as vendas no varejo no Brasil em junho. A expectativa mediana dos economistas é de queda de 0,80% na comparação mensal e de 6,9% na base anual. Nos Estados Unidos, destaque para os dados de produtividade e custo de mão-de-obra, para os quais espera-se um avanço de 0,5%. O número sai às 9h30. Também nos EUA, saem às 11h os estoques do setor atacadista norte-americano. A expectativa mediana dos economistas é de crescimento de 0,2%.

4. Entrevista exclusiva Nesta manhã, o InfoMoney traz entrevista exclusiva feita com o vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, Darcísio Perondi (PMDB-RS). Em seu sexto mandato consecutivo na casa, o peemedebista é homem de confiança de Michel Temer e atuará como relator do principal projeto econômico até o momento enviado pelo governo interino ao Congresso: a PEC que limita o crescimento das despesas públicas à inflação do ano anterior. Na conversa, o parlamentar falou sobre a retomada da confiança dos mercados, os gargalos na economia, as responsabilidades do Congresso sobre a crise e os planos para pôr fim ao modelo de partilha do pré-sal em 2017.

5. Destaques corporativos Noite agitada no noticiário com destaque para a Via Varejo e a Cnova, que anunciaram um acordo para combinação de seus negócios no Brasil, podendo gerar sinergias de R$ 245 milhões por ano a partir de 2017. Enquanto isso, a Société Mondiale convocou uma assembleia geral extraordinária de acionistas da Oi buscando destituir parte do conselho da empresa e anular um acordo feito em 2015 com a Portugal Telecom. Entre os resultados, a Smiles viu seu lucro subir 38,2%, para R$ 89,4 milhões, enquanto a Marcopolo teve lucro de R$ 43,3 milhões uma alta de 16,7%. – BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 15551

0 Shares
You May Also Like