Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Estudo descarta que OGM sejam mais nocivos que cultivos convencionais - Jornal Brasil em Folhas
Estudo descarta que OGM sejam mais nocivos que cultivos convencionais


Um relatório publicado na terça-feira afirma que o cultivo de organismos geneticamente modificados (OGM) não representa mais riscos para a saúde e o meio ambiente que os convencionais, mas alerta que a resistência desenvolvida por pragas e ervas daninhas em função dos trangênicos poderia causar graves problemas agrícolas.

O estudo, realizado pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, analisou duas décadas de pesquisas sobre safras de OGM, e pediu aos reguladores que prestem atenção ao produto final das novas variedades vegetais, mais do que ao processo usado para produzi-las.

Nós analisamos a fundo a literatura para oferecer um novo olhar sobre os dados relativos aos OGM e às culturas tradicionais, disse o presidente da comissão, Fred Gould, codiretor do Centro de Engenharia Genética e Sociedade da Universidade Estadual da Carolina do Norte.

Gould reconheceu que a riqueza de dados e opiniões sobre o assunto controverso criou um panorama confuso e que o novo relatório buscava oferecer uma análise imparcial das evidências.

A comissão de mais de 50 cientistas analisou quase 900 pesquisas e outras publicações sobre as características da engenharia genética no milho, na soja e no algodão - que representam a maioria das culturas comerciais.

Embora reconheçamos a dificuldade inerente de detectar efeitos sutis ou de longo prazo na saúde e no meio ambiente, a comissão do estudo não encontrou evidências que mostrem alguma diferença de riscos para a saúde humana entre os cultivos de OGM atualmente comercializados e as colheitas convencionais, nem evidências conclusivas de causa e efeito em relação a problemas ambientais e transgênicos, afirma o relatório.

No entanto, o estudo urgiu aos reguladores que submetam as novas variedades vegetais a testes de segurança - independentemente de se elas foram desenvolvidos utilizando técnicas de engenharia genética ou técnicas de cultivo convencional.

Os especialistas afirmaram também que a resistência em relação às características dos transgênicos desenvolvida pelos insetos e ervas daninhas é um grande problema agrícola.

O relatório cita muitos locais onde as ervas daninhas desenvolveram resistência ao glifosato, o herbicida ao qual a maioria das culturas biotecnológicas se tornaram resistentes após terem sido modificadas com esta finalidade.

O estudo não encontrou ligações entre culturas geneticamente modificadas e câncer ou diabetes, e nenhuma associação entre qualquer doença ou condições crônicas e o consumo de alimentos transgênicos.

Os biólogos têm usado a engenharia genética desde os anos 1980 para produzir frutos que durem mais tempo nas prateleiras, tenham maior teor de vitaminas e sejam mais resistentes às doenças comuns.

Os autores apontaram também indícios de que as culturas de OGM resistentes a insetos trouxeram benefícios à saúde humana, porque permitiram a redução do uso de pesticidas.

 

Últimas Notícias

Índice de registro de imóveis pode melhorar transações no país
Programa para receber declaração do IR estará disponível segunda-feira
Paulo Guedes espera aprovação da reforma da Previdência até junho
Doria anuncia redução do aumento do preço médio do gás em São Paulo
Pesquisador em Engenharia Aeroespacial assume presidência do CNPq
Ortega anuncia retomada do diálogo com a sociedade organizada
Empresária vítima de tentativa de feminicídio no Rio deixa hospital
Atriz Fernanda Montenegro recebe alta de hospital no Rio

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212