Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Homenagem às vítimas em frente à casa de shows Bataclan - Jornal Brasil em Folhas
Homenagem às vítimas em frente à casa de shows Bataclan


O Marrocos prendeu um belga suspeito de ter vínculos com o cérebro dos atentados terroristas de Paris, que deixaram 130 mortos - informaram as autoridades de Rabat.

Segundo o Ministério marroquino do Interior, o belga foi preso em 15 de janeiro na cidade de Mohammadiya, perto de Casablanca.

Identificado apenas por suas iniciais pelo governo, o detido viajou para a Síria na companhia de um dos terroristas que detonou seus explosivos no subúrbio parisiense de Saint-Denis.

Já a Procuradoria belga disse se tratar de Gelel Attar.

Na Síria, ele se alistou na Frente Al-Nosra (facção local da Al-Qaeda) antes de aderir ao Estado Islâmico (EI), onde teria estabelecido vínculos com o cérebro dos atentados de Paris.

O suspeito voltou à Europa via Turquia e, depois de passar por Alemanha, Bélgica e Holanda, foi para o Marrocos.

O suspeito será apresentado à Justiça no fim da investigação, completou o comunicado.

Segundo o site de notícias marroquino Le360, próximo ao Palácio real, o suspeito foi detido na casa da mãe, quando estava sozinho. Ela está na Bélgica, e o pai já é falecido.

Há dois meses, uma informação da Inteligência do Marrocos contribuiu para colocar os investigadores franceses na pista do belga-marroquino Abdelhamid Abaaud, apresentado como cérebro dos atentados de Paris.

Abaaud foi morto em 18 de novembro de 2015, em uma batida policial em Saint-Denis, no subúrbio parisiense.

Depois de sua morte, a Bélgica pediu ao Marrocos uma colaboração estreita e dirigida em matéria de Inteligência e de segurança para rastrear suspeitos envolvidos nesses atentados, ou que estivessem preparando novos ataques.

O jornal flamengo De Standard publicou hoje, em sua página on-line, que Attar se mudou em 2013, de forma definitiva, para o Marrocos. Ele havia sido condenado à revelia em julho de 2015 em Bruxelas a cinco anos de prisão, por pertencer a uma organização terrorista e por vários roubos. Abaaud foi condenado no mesmo processo.

Segundo o jornal Het Nieuwsblad, Gelel Attar tem 26 anos e é originário de Molenbeek, uma comuna de Bruxelas com grande número de imigrantes. Desde março de 2014, já havia um mandado internacional expedido contra ele pelo governo belga.

Dois meses após os atentados de Paris, a investigação se concentra cada vez mais na Bélgica: quatro homens continuam sendo rastreados pelas Polícias europeias. Entre eles, está Salah Abdeslam, um francês residente na Bélgica. Também resta identificar três dos suicidas.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212