Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


26 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 FMI reduz previsão de crescimento mundial em 2016 a 3,4% - Jornal Brasil em Folhas
FMI reduz previsão de crescimento mundial em 2016 a 3,4%


O Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou nesta terça-feira em baixa sua previsão para o crescimento da economia mundial em 2016, a 3,4%, com um alerta sobre riscos substanciais que afetam especialmente as economias emergentes, como a do Brasil.

Este prognóstico representa um avanço em relação aos 3,1% de 2015, mas está 0,2 ponto percentual abaixo da previsão de outubro do ano passado.

A economia mundial alcançaria um crescimento de 3,6% em 2017, indica o FMI na atualização das perspectivas mundiais.

Projeta-se que a recuperação da atividade mundial seja mais gradual que o previsto em outubro passado, especialmente no caso das economias de mercados emergentes e em desenvolvimento, disse a entidade financeira.

Para os técnicos do FMI, a desaceleração da economia chinesa, a queda dos preços das matérias primas e as tensões nas quais se encontram submetidas algumas das principais economias de mercados emergentes continuarão pesando sobre as perspectivas de crescimento em 2016-2017.

Enfrentamos sobressaltos este ano, particularmente no mundo emergente e em desenvolvimento, disse o economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld, em uma coletiva de imprensa em Londres.

Evitar o descarrilamento

Os riscos para as perspectivas mundiais continuam se inclinando à baixa e estão relacionados com os ajustes que estão ocorrendo na economia mundial, indicou o Fundo.

Entre estes ajustes, o FMI mencionou a queda progressiva das condições monetárias extraordinariamente acomodatícias nos Estados Unidos.

De acordo com o FMI, se estes temas não forem administrados adequadamente, o crescimento mundial pode descarrilar.

No entanto, o Fundo manteve intocada a previsão de crescimento para a China, de 6,3%, com redução sensível em relação aos 6,9% registrados em 2015, o menor nível em um quarto de século.

A instituição, no entanto, prevê para os Estados Unidos um crescimento de 2,1%, 0,2 ponto percentual abaixo da expectativa de outubro, principalmente devido ao impacto que o fortalecimento do dólar tem sobre as exportações.

O continente europeu é o único bloco que teve uma revisão em alta, de 0,1 ponto percentual, graças ao desempenho das economias de Alemanha e Espanha: em 2016 a região deve crescer 1,7%, sendo que em outubro passado a previsão do FMI era de um avanço de 1,6%.

No caso da Espanha, o país crescerá 2,7% em 2016 e 2,3% em 2017, segundo as previsões revisadas em alta.

Na América Latina, enquanto isso, o Brasil arrasta para baixo praticamente toda a região: o FMI prevê para este ano uma queda de 3,5% no país, quando em outubro estimava um retrocesso de 1%, o que representa um reajuste de -2,5 pontos percentuais, a revisão mais expressiva de todo o estudo.

A corrupção e os problemas políticos no Brasil, estimou Obstfeld, minaram a confiança, o que também foi causado pela deterioração contínua das perspectivas orçamentárias, que está abalando a confiança e provocando uma maior depreciação (do real) e uma maior inflação.

Com uma previsão de crescimento para o México de 2,9%, contra os 3,1% previstos em outubro, o FMI projeta que a região da América Latina e do Caribe deverá experimentar em 2016 uma queda de 0,3%, uma forte revisão de -1,1 ponto percentual.

Atenção especial à China

Em seu novo estudo, o FMI se concentrou nos riscos que podem levar ao surgimento de crises localizadas, mas com consequências generalizadas.

A transição da China, a segunda maior economia do mundo, constitui, assim, a preocupação fundamental.

A súbita redução das importações e das exportações chinesas coloca ainda mais pressão sobre um mercado mundial de commmodities já deprimido, e com isso afeta diretamente os exportadores de muitos países, em especial Austrália e Brasil, produtores com perfil exportador.

 

Últimas Notícias

Empresários brasileiros apostam em alimentos e bebidas saudáveis
Temporal no RS deixa mais de 360 mil residências sem luz
Livro aborda mentiras contadas por presidentes do Brasil em 100 anos
Setor da cachaça lança manifesto contra carga tributária
Polícia busca PM sequestrado por criminosos na zona oeste do Rio
Bolsonaro passa bem e tem dreno retirado do abdome
PM encontra carro de policial sequestrado no Rio
Festival de Brasília termina hoje com entrega de premiações

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212