Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Venda de imóveis públicos provoca protestos da comunidade científica em SP - Jornal Brasil em Folhas
Venda de imóveis públicos provoca protestos da comunidade científica em SP


A Frente Parlamentar em Defesa dos Institutos e Fundações Públicas de Pesquisa de São Paulo fez hoje (10) ato na Assembleia Legislativa de São Paulo para protestar e chamar a atenção do governo e dos deputados estaduais para o Projeto de Lei número 328 de 2016, que pede autorização para a venda de imóveis públicos. O projeto enviado à Alesp pelo governador Geraldo Alckmin, no último dia 14 de abril, sob o argumento de que a comercialização dos imóveis poderia diminuir a crise fiscal e a perda de arrecadação no estado.

O texto diz que os imóveis são “inservíveis ou de pouca utilidade para as atividades estatais no momento”, mas, segundo a Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo, entre os imóveis colocados para alienação ou concessão, 12 são administrados pela entidade e utilizados para pesquisa científica e tecnológica, principalmente nas áreas de agronomia e agropecuária.

O presidente da associação, Joaquim Adelino de Azevedo Filho, disse que recebeu a notícia sobre o projeto de lei com surpresa, porque tudo foi elaborado sem consulta aos profissionais de diversas áreas no estado, especialmente no interior. “Tudo foi colocado à venda sem conhecimento, e sem saber o que realmente é feito nessas áreas. São feitas pesquisas na agricultura e agropecuária, que não poderiam ser interrompidas. Nós queremos barrar esse projeto e pedir que o governador converse conosco.

Azevedo ressaltou que a venda dessas áreas trará consequências enormes para a sociedade. “Hoje, esses institutos geram conhecimento que é compartilhado com toda a sociedade sem distinção. Se houver quebra dessas pesquisas públicas, toda a tecnologia será gerada por empresas que vão tirar proveito financeiro”.

O deputado Carlos Neder, que também preside a Frente Parlamentar em Defesa dos Institutos e Fundações Públicas de Pesquisa de São Paulo, falou que o objetivo do grupo é que o projeto não seja aprovado e que o governo faça audiências com a comunidade científica. “Na nossa avaliação, o governo quer nosso aval para vender fazendas fundamentais para a pesquisa, para depois ter a permissão para vender outras áreas, sem precisar recorrer à Alesp”.

Neder ressaltou que os grupos científicos estão se organizando nas regiões onde há áreas à venda. “Quem será beneficiado em última instância se essa proposta for aprovada são as empresas que atuam no mercado imobiliário, que estão interessadas em ganhar terrenos altamente valorizados”.

O projeto tramitará em quatro comissões– Finanças, Orçamento e Planejamento; Ciência, Tecnologia, Inovação e Informação; Infraestrutura; e Constituição, Justiça e Redação – e para o deputado Carlos Neder, o ideal é que, além da audiência obrigatória com a comunidade científica, cada uma dessas comissões também converse sobre o Projeto de Lei antes de ele ser votado.

O governo do estado foi procurado mas não respondeu à solicitação.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212