Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Especialistas recomendam suspensão de Jogos Rio-2016 por zika - Jornal Brasil em Folhas
Especialistas recomendam suspensão de Jogos Rio-2016 por zika


Em uma carta aberta, mais de 150 médicos, cientistas e pesquisadores internacionais alertaram nesta sexta-feira que os Jogos Olímpicos do Rio-2016, previstos para agosto, deveriam ser transferidos ou adiados devido ao vírus da zika vírus.

Prosseguir com os Jogos no Rio, a segunda cidade mais afetada pela epidemia de zika no Brasil, seria irresponsável e anti-ético, argumentam os especialistas na carta.

Nossa maior preocupação é a saúde global. A cepa brasileira do vírus da zika afeta a saúde de formas que a ciência nunca tinha visto antes, diz a carta, assinada por especialistas de Brasil, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Canadá, Noruega, Filipinas, Japão, África do Sul, Turquia, Líbano, entre outros.

Um risco desnecessário se apresenta quando 500.000 turistas estrangeiros de todos os países que comparecerão aos Jogos se expõem potencialmente a esta cepa e retornam às suas casas, onde pode se tornar endêmica, afirmou.

Se isso acontecer em locais mais pobres, como aqueles ainda não afetados (por exemplo, a maior parte do Sul da Ásia e da África), o sofrimento pode ser grande, alertaram na carta.

O zika pode causar malformações, como a microcefalia, que leva a bebês nascerem com a cabeça e o cérebro incomumente pequenos.

Aproximadamente 1.300 bebês nasceram no Brasil com deficiências irreversíveis desde que o mosquito , vetor da dengue, começou a transmitir zika, no ano passado.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e as principais autoridades sanitárias dos Estados Unidos têm alertado as pessoas que viajam para o Brasil a tomar as precauções necessárias para evitar as picadas do mosquito. Alertam também às mulheres grávidas que evitem áreas onde o zika está circulando, como o Rio de Janeiro.

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, entre 5 de agosto e 18 de setembro, ocorrerão durante o inverno no Brasil, quando há menos quantidade de mosquitos ativos e o risco de ser picado é menor, informou a OMS no início deste mês.

Mas a carta aberta, assinada por médicos e pesquisadores das principais universidades ao redor do mundo, expressou preocupação de que as autoridades não estejam protegendo as pessoas adequadamente ante o risco representado pelo zika.

É antiético correr este risco somente por Jogos que poderiam ocorrer de qualquer forma, mesmo que adiados e/ou transferidos, destacou.

A carta recomenda a OMS a realizar uma nova avaliação baseada em evidências da situação no Brasil e de suas recomendações para os turistas.

Conflito de interesses

Dado o grande investimento financeiro do evento, a carta questiona se a agência sanitária da ONU foi bem sucedida em fornecer um parecer não tendencioso da situação.

Segundo o documento, a entidade mundial pode não estar considerando adequadamente as opções, que incluem mudar os Jogos para um local onde o zika não esteja presente, adiá-los até que o zika esteja sob controle, ou cancelá-los.

Nós estamos preocupados de que a OMS esteja rejeitando essas alternativas devido a um conflito de interesses, ressaltou a carta.

Especificamente, a OMS entrou em uma parceria oficial com o Comitê Olímpico Internacional (COI), em um Memorando de Entendimento que permanece secreto, acrescentou.

Eles pediram que a organização divulgue o memorando.

Não fazê-lo lança dúvidas a respeito da neutralidade da OMS, afirmou.

A OMS necessita rever a questão do zika e o adiamento e/ou mudança dos Jogos. Recomendamos que a OMS convoque um grupo independente para avaliar isto junto ao COI em um processo transparente, baseado em evidências, onde a ciência, a saúde pública e o espírito esportivo venham em primeiro lugar, declarou a carta.

Em vista das consequências para a saúde pública e a ética, não fazê-lo é irresponsável, concluiu.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212