Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Conselho Curador reitera caráter público da EBC e pede manutenção da legislação - Jornal Brasil em Folhas
Conselho Curador reitera caráter público da EBC e pede manutenção da legislação


Em reunião ocorrida na tarde de hoje (31) em Brasília, o Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) aprovou uma nota pública na qual defende a legislação que criou a EBC. O texto dá ênfase à independência editorial da empresa, reforçando seu caráter público – e não estatal –, na manutenção das atribuições do próprio conselho e na permanência do diretor-presidente escolhido pela presidente da República afastada, Dilma Rousseff, no dia 8 de maio, três dias antes do impeachment.

“O Conselho Curador estará em vigília permanente e não abdicará de seus deveres e prerrogativas legais na defesa do caráter público da Comunicação da EBC, complementar aos sistemas privado e estatal, nos termos da Constituição Federal”, diz um trecho da nota. O documento, além de criticar a troca na diretoria, o que já havia feito semanas atrás, também defendeu o caráter público da comunicação praticada pelos veículos da empresa.

Nota

A nota foi aprovada por unanimidade. “Quem é presidente desse país deve ser o primeiro a defender as leis que o regem. É muito triste termos de recorrer ao STF”, disse a conselheira Rosane Bertotti, em alusão à ação do ex-diretor-presidente da empresa Ricardo Melo no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a volta ao cargo do qual foi exonerado no dia 17.

“A EBC tem um diferencial em relação a outras empresas estatais. Ela é fruto de anos de luta pela democratização das comunicações. Entendo que devemos defender a lei, porque representa um ponto de equilíbrio de diversas matrizes ideológicas. Esperamos que o Supremo se manifeste o quanto antes”, afirmou o conselheiro Takashi Tome.

O representante da Secom presente à reunião, Fábio Marçal, disse que preferia apenas ouvir as colocações dos conselheiros e não se manifestar em nome do governo. Ele disse que o plano de comunicação pública do governo interino está sendo elaborado. “Vim mais para ouvir. E acho importante isso, o debate acontecendo”.

Manifestantes

Durante a reunião, a presidente do conselho, Rita Freire, criticou a retenção de manifestantes do lado de fora e reiterou que a reunião do conselho é aberta ao público. Logo em seguida, os manifestantes passaram pela segurança e entraram na sala, se manifestando a favor da comunicação pública e da EBC. Houve um princípio de confusão, logo contido, com alguns seguranças.

Os manifestantes, que integram o movimento de ocupação do prédio da Fundação Nacional das Artes (Funarte), em defesa da cultura, puderam acompanhar a reunião sem quaisquer outros problemas. No intervalo da reunião, eles fizeram uma performance teatral em defesa da comunicação pública.

Ficou decidido também que o conselho enviará um requerimento à Secretaria de Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) pedindo o posicionamento do governo sobre a comunicação pública.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212