Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Regime sírio anuncia sua delegação para negociações em Genebra - Jornal Brasil em Folhas
Regime sírio anuncia sua delegação para negociações em Genebra


O governo sírio apresentou à ONU a lista dos membros da delegação que será enviada para as negociações indiretas previstas em Genebra com a oposição para tentar acabar com cinco anos de guerra civil.

A delegação será dirigida pelo vice-ministro das Relações Exteriores, Faysal Moqdad, e o embaixador da Síria ante a ONU, Bashar Jaafari. Além disso inclui três diplomatas e oito juristas.

Um jornal ligado ao poder em Damasco falou em divergências sobre a composição da delegação da oposição, o que poderá atrasar o início das negociacões previstas a partir de 25 de janeiro na Suíça.

A mais importante coalizão de oposição síria nomeou na quarta-feira um líder rebelde islamita apoiado por Riad como negociador-chefe para as negociações com o regime, que devem começar em 25 de janeiro, em Genebra.

Esta coalizão formada pelos principais grupos da oposição política e armada, exigiu que sua delegação fosse a única interlocutora frente ao regime, bem como o fim dos bombardeios e o cerco de áreas povoadas na Síria, país devastado pela guerra.

Em uma coletiva de imprensa em Riad, o coordenador geral da oposição, Riad Hijab, anunciou que Mohamed Alluche, membro do braço político do Jaich al-Islam, grupo armado pró-saudita, seria o principal negociador.

O opositor Assaad al-Zoabi presidirá a delegação e George Sabra, chefe do Conselho Nacional Sírio, será seu vice-presidente, acrescentou Hijab, sem especificar o número e a identidade dos outros membros da delegação.

Apoiado pela Arábia Saudita, Jaich al-Islam é um movimento de inspiração salafista e hostil ao grupo Estado Islâmico (EI).

Ele controla a maior parte dos subúrbios leste de Damasco, regularmente bombardeados pelo regime e a aviação russa.

Hijab salientou que a delegação da coalizão era a única capaz de representar a oposição nas conversações de Genebra, a ser realizada sob os auspícios da ONU.

Nós não vamos ir às negociações se uma terceira parte ou outra personalidade for adicionada, acrescentou Hijab, referindo-se à Rússia, aliada de Bashar al-Assad, que expressou sua intenção de juntar às negociações grupos próximos ao poder.

Ele voltou a exigir o fim dos bombardeios do regime contra áreas povoadas, além do levantamento do cerco a todas as cidades e regiões e a libertação de prisioneiros, em conformidade com a resolução 2254 do Conselho de Segurança da ONU.

Também exigiu a saída de Assad com o início de um possível período de transição.

A comunidade internacional tem a obrigação de implementar esta resolução, disse. Nós não podemos negociar, enquanto o nosso povo está morrendo de fome e está sob o bombardeio do regime e de seus aliados, em uma aparente referência à Rússia.

Ele reiterou que as negociações devem conduzir à criação de uma autoridade de transição, na qual Bashar al-Assad (...) não terá nenhum papel.

Em 10 de dezembro, em Riad, centenas de representantes dos principais grupos da oposição política e armada haviam anunciado um acordo para as negociações com o regime, mas exigiram a saída de Assad com o início de um período de transição.

Em 18 de dezembro, o Conselho de Segurança adotou uma resolução que estabelece um roteiro para uma solução política: as negociações e um cessar-fogo, um governo de transição no prazo de seis meses e eleições dentro de 18 meses.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212