Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Aedes: pesquisadores do RS anunciam parceria para desenvolver tecnologias - Jornal Brasil em Folhas
Aedes: pesquisadores do RS anunciam parceria para desenvolver tecnologias


Duas universidades gaúchas anunciaram hoje (2) uma parceria com o Grupo FK-Biotec para desenvolver tecnologias de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, chikungunya e do vírus Zika. O contrato de colaboração foi assinado pelos reitores da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e da Universidade Feevale, instituições que compõem a parceria.

As tecnologias desenvolvidas serão aplicadas em novos produtos, como kits para diagnóstico de doenças. “Esses produtos são um grande desafio, porque o vírus da dengue e o Zika são muito parecidos. Muitas vezes, quando temos um diagnóstico positivo para Zika, na verdade estamos identificando anticorpos contra a dengue. É importante que a gente desenvolva novas ferramentas científicas para eliminarmos os falsos positivos”, disse Fernando Kreutz, professor da PUCRS e diretor da FK-Biotec.

Além dos kits de diagnóstico, a parceria possibilitará o desenvolvimento de um repelente com a aplicação de uma nanotecnologia, que vai permitir ao produto ser mais durável. Além disso, o repelente deverá ser aplicado no ambiente e não na pele. “Os estudos que estão sendo feitos hoje são no sentido da eficácia do repelente, que está em pleno desenvolvimento. A gente espera que o produto já esteja no mercado para o próximo verão”, afirmou Kreutz.

Ainda não existe uma perspectiva de parcerias com prefeituras ou governos estaduais para o uso utilização das novas tecnologias que estão sendo desenvolvidas pelo grupo no combate ao Aedes aegypti. “A gente já desenvolveu um larvicida biológico que está sendo utilizado em São Paulo com uma eficácia impressionante na redução de casos. Estamos gerando tecnologias que o Poder Público pode utilizar, mas isso depende de um convencimento de que é necessário usar essas ferramentas, e não simplesmente aplicar a resposta mais simples ou menos custosa”, ressaltou Kreutz. O professor destacou ainda que as tecnologias utilizadas atualmente no país são importadas e, por isso, têm custos fixos e não equacionáveis, o que poderá dar um diferencial para os produtos desenvolvidos na parceria com as universidades brasileiras.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212