Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Romênia recorda o pogrom de 1941, página sombria de sua história - Jornal Brasil em Folhas
Romênia recorda o pogrom de 1941, página sombria de sua história


A Romênia recorda nesta quinta-feira o pogrom de Bucareste, de janeiro de 1941, uma das páginas mais negras de sua história, quando 151 judeus foram mortos e centenas de propriedades e locais de culto saqueados.

Reunidos na grande sinagoga de Bucareste, vandalizada há 75 anos, várias dezenas de judeus, representantes das autoridades romenas e diplomatas depositaram coroas de flores em homenagem às vítimas.

Estes acontecimentos trágicos (...) representam uma página dolorosa, uma página negra na história dos judeus da Romênia e do povo romeno como um todo, declarou Aurel Vainer, deputado da minoria judaica no parlamento de Bucareste.

Em 21 de janeiro de 1941, membros da Guarda de Ferro, um movimento fascista e antissemita associado ao governo pelo marechal pró-nazista Ion Antonescu, organizaram uma rebelião para tomar todo o poder.

Eles semearam uma onda de terror entre os judeus, matando 151 deles e saqueando 616 lojas e vinte sinagogas, segundo o relatório de uma comissão de historiadores liderada pelo Prêmio Nobel da Paz Elie Wiesel.

Referindo-se a essas atrocidades, Vainer cita, entre outros crimes, a execução no matadouro de Bucareste de dez judeus, cujos corpos foram posteriormente pendurados em ganchos sob a inscrição carne kosher.

Hordas de legionários (membros da Guarda de Ferro) tomaram de assalto os bairros judeus, saqueando e incendiando imóveis, embarcando em caminhões dezenas de pessoas que foram executadas na floresta de Jilava, ao sul de Bucareste, lembrou por sua vez o historiador Adrian Cioflânca.

Segundo ele, as autoridades da época deixaram que os legionários espalhassem o caos, sem responder aos apelos desesperados dos judeus.

Nós, os sobreviventes, temos o dever de relembrar esses eventos para evitar a sua recorrência, e homenagear todos os não-judeus que salvaram judeus durante este momento difícil, disse Vainer.

A comunidade judaica da Romênia, com 800.000 pessoas antes da Segunda Guerra Mundial, conta hoje com cerca de 5.700 pessoas.

De acordo com o relatório Wiesel, entre 280.000 e 380.000 judeus romenos e ucranianos morreram sob o regime de Antonescu entre 1940 e 1944, nos territórios controlados pela Romênia.

 

Últimas Notícias

Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212