Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Norte-coreana volta arrependida para casa após fugir ao Sul - Jornal Brasil em Folhas
Norte-coreana volta arrependida para casa após fugir ao Sul


Uma norte-coreana voltou ao seu país depois de ter fugido para a Coreia do Sul, e apareceu na televisão do regime comunista manifestando seu arrependimento e rasgando o livro de memórias que escreveu para promover o cristianismo.

O site oficial da Coreia do Norte, Uriminzokkiri, divulgou no sábado um vídeo de Son Ok-Sun, de 50 anos. Nele a mulher diz se lamentar por ter fugido à China no ano 2000 e manifesta sua decepção com a vida na Coreia do Sul, onde chegou em 2007. Neste país publicou suas memórias, nas quais contava sua fuga e sua conversão ao cristianismo.

Quero me sacrificar pela reunificação das duas Coreias, conta a mulher, que em seguida rasga as páginas de seu livro, Em busca da luz, publicado sob o pseudônimo de Esther Joo.

Este livro foi escrito sob instigação dos inimigos, para apresentar a mãe pátria sob um ângulo negativo, acrescenta um comentarista, enquanto a mulher, que não se sabe quando voltou à Coreia do Norte, rasga seu livro.

Son também explica que muitas coisas na Coreia do Norte melhoraram desde que partiu, e afirma que a Coreia do Sul é um país minado pela corrupção e pelos conflitos trabalhistas, e com uma taxa de suicídios muito alta.

No vídeo, de 20 minutos, ela aparece passeando por Pyongyang, extasiada diante dos grandes edifícios e também em um aquário.

No total, segundo a imprensa sul-coreana, 15 norte-coreanos que haviam fugido voltaram ao seu país desde 2011.

O líder norte-coreano, Kim Jong-Un, tenta fazer as pessoas que fugiram voltarem, apresentando a elas um indulto, além de um trabalho.

Aquelas que retornam costumam aparecer nos meios de comunicação oficiais, uma tática com a qual o regime tenta encorajar outras pessoas a fazerem o mesmo.

O número de norte-coreanos que fogem ao Sul caiu a 1.277 em 2015, contra 2.700 em 2011, o que coincide com o reforço das fronteiras instituído por Kim Jong-Un, segundo dados do ministério sul-coreano da Reunificação.

O líder norte-coreano chegou ao poder em dezembro de 2011, após o falecimento de seu pai e antecessor, Kim Jong-Il.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212