Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Otan se organiza para conter ciberataques - Jornal Brasil em Folhas
Otan se organiza para conter ciberataques


Os ministros da Defesa da Otan designaram o ciberespaço, formalmente, nesta terça-feira, como um novo teatro de operações, no mesmo nível que mar, terra e ar - o que implica organizar melhor sua defesa em termos coletivos.

A maioria das crises (de segurança) tem hoje uma dimensão relevante do ciberespaço, explicou o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte, Jens Stoltenberg.

Então, fazer do virtual um campo operacional nos permitirá proteger melhor nossas missões e operações, acrescentou Stoltenberg, no primeiro dia de uma reunião de ministros da Defesa da Otan, em Bruxelas.

Em sua cúpula no País de Gales em setembro de 2014, os 28 países da Aliança Atlântica haviam decidido reforçar suas redes informáticas e redes de comunicação militar, ao constatar que as ciberameaças e os ciberataques continuarão se tornando cada vez mais frequentes, sofisticados e potencialmente prejudiciais.

Na época, antecipava-se, em especial, que a reação a um ataque desse tipo poderia se basear no artigo 5 do Tratado de Washington, o qual prevê uma resposta coletiva dos 28 aliados à agressão sofrida por algum deles.

Um ciberataque pode causar muitos danos e se revelar muito perigoso, justificou o chefe da Otan.

A organização quer proteger suas redes para evitar as falhas que permitem aos hackers se infiltrarem em qualquer infraestrutura tecnológica militar dos países da Otan - que têm seus quartéis-generais interconectados, e sua sede, como alvo, frequentemente. A Otan também pretende reforçar suas capacidades para determinar a origem dos ataques e a identidade dos agressores, completou Stoltenberg.

Além disso, a Aliança Atlântica está desenvolvendo uma cooperação sem precedentes com a União Europeia para conter o que ela designa como táticas de guerra híbridas e em setores tão diversos quanto energia, tecnologia, informação, ou uso das forças especiais.

Muito ativos na Internet, os ciberataques fazem parte dessas ameaças híbridas.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212