Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Valdir Raupp diz estranhar indiciamento com base em doação legal de campanha - Jornal Brasil em Folhas
Valdir Raupp diz estranhar indiciamento com base em doação legal de campanha


O senador Valdir Raupp (PMDB-RO) disse hoje (14) estranhar seu indiciamento pela Polícia Federal por crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva em inquérito da Operação Lava Jato. A investigação apura suspeita de que o peemedebista tenha recebido propina de R$ 500 mil desviados da Petrobras.

Em nota, a assessoria do senador informou que a doação foi feita ao diretório do partido e não à sua campanha.

“O senador Valdir Raupp esclarece que a doação de R$ 500 mil foi feita ao diretório estadual do PMDB de Rondônia e não à sua campanha em 2010, tendo sido, oficialmente, declarada e aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RO) e pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), conforme determina a legislação em vigor”.

Em outro trecho da nota, o senador afirmou que “é de se estranhar seu indiciamento, tendo como base uma doação legal e legítima para o diretório estadual na campanha de 2010”.

Ainda no documento, a assessoria de Raupp disse que o senador afirma que as provas apresentadas são frágeis e insuficientes para seu indiciamento e que provará ao Ministério Público que não cometeu nenhum ato ilícito.

Setor elétrico

Em relação à determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que pediu a abertura de inquérito para investigar quatro senadores do PMDB (Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR), Jader Barbalho (PA) e Raupp), com base em delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral, a assessoria de Raupp destacou que o senador nunca teve influência no setor elétrico.

“O senador Valdir Raupp reafirma que jamais exerceu qualquer influência no setor elétrico, como disse o ex-senador Delcídio do Amaral em sua delação. Reitera que nunca patrocinou nenhuma indicação política para o setor e que as ilações do ex-senador Delcídio são inverídicas e não servem para embasar pedido de investigação”, concluiu a nota da assessoria do senador.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212