Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Pesquisadores dos EUA pedem ação rápida da OMS contra o Zika - Jornal Brasil em Folhas
Pesquisadores dos EUA pedem ação rápida da OMS contra o Zika


Pesquisadores dos Estados Unidos pediram nesta quarta-feira à Organização Mundial de Saúde (OMS) que tome medidas rapidamente para lidar com o Zika vírus, ligado a casos de microcefalia em milhares de bebês no Brasil e que se espalha rapidamente na América Latina e no Caribe.

Cientistas da Universidade de Georgetown fizeram um apelo à diretora-geral da OMS, Margaret Chan, para levar em conta as lições aprendidas com a epidemia de Ebola e agir logo para combater o Zika, que é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

Especificamente, os pesquisadores solicitaram à agência da Organização das Nações Unidas (ONU) que convoque uma reunião de emergência com especialistas de saúde e de doenças infecciosas para se analisar como reagir ao surto.

Só a convocação da reunião chamaria atenção para a necessidade de financiamento e pesquisa, afirmaram em um artigo de opinião publicado nesta quarta-feira no periódico da Associação Médica Americana.

O Zika vírus vem sendo ligado à microcefalia em milhares de recém-nascidos no Brasil. Não existe vacina ou tratamento para a doença, que é prima próxima da dengue e da febre chikungunya e causa febre moderada, erupção cutânea e vermelhidão nos olhos. Cerca de 80 por cento das pessoas infectadas não exibem sintomas, o que torna difícil para as grávidas saberem se foram contaminadas.

Até pouco tempo, o vírus era visto como uma doença pouco grave, mas as preocupações aumentaram depois da descoberta recente de um possível elo com a má formação de fetos em alguns dos países afetados e também com a síndrome Guillain-Barré, uma doença rara, mas séria, que pode provocar paralisia.

Estudos recentes que mostram como a doença está se disseminando preveem uma propagação internacional significativa de viajantes do Brasil para o resto das Américas, Europa e Ásia, escreveram o doutor Daniel Lucey, especialista em doenças infecciosas, e Lawrence Gostin, especialista em leis de saúde globais, no artigo.

A liderança da OMS admitiu em abril do ano passado ter cometido erros sérios na maneira como lidou com a crise do Ebola, que se concentrou principalmente em três países da África Ocidental e matou mais de 10 mil pessoas.

Refletindo os temores com a ampliação da epidemia, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu o desenvolvimento rápido de exames, vacinas e tratamentos para o vírus, que pode se espalhar pelos EUA nos meses mais quentes.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212