Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Ações da Oi fecham o dia com queda de 18%; Bovespa tem alta de 1% - Jornal Brasil em Folhas
Ações da Oi fecham o dia com queda de 18%; Bovespa tem alta de 1%


As ações preferenciais da companhia de telefonia Oi fecharam o dia de hoje (21) com queda de 18,1% na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&F Bovespa), valendo R$ 0,81.

No início do pregão, a ação chegou a valer R$ 0,68, uma desvalorização de cerca de 30%, o que fez com que a BM&F Bovespa suspendesse as negociações dos papéis da empresa por cerca de uma hora. Já as ações ordinárias encerraram o dia valendo R$ 1,15, um recuo de 8,7%.

A companhia de telefonia Oi entrou ontem (20) na 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio com um pedido de recuperação judicial, incluindo no processo um total em dívidas de R$ 65, 4 bilhões.

Impacto no Ibovespa

Os papéis da Oi não fazem parte do pacote que compõem o índice Bovespa (Ibovespa), que encerrou o dia em alta de 1,01%, aos 50.837 pontos. No entanto, entre as empresas que compõem o índice, a queda mais acentuada ocorreu nas ações do Banco do Brasil (-4,46%), um dos credores da Oi. Também tiveram baixa papéis da Qualicorp (-2,97%) e Equatorial (-1,66%). Já as maiores altas de hoje foram das ações da Localiza (5,24%), Smiles (5,10%) e Kroton (5,3%).

“Um pedido de recuperação nesse volume tem muita consequência. Há impostos atrasados, que a empresa pode não pagar. Há funcionários que podem ficar sem emprego e os bancos públicos, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social], que têm recursos na Oi, empréstimos, o que, consequentemente, pode trazer no futuro problemas para clientes desses bancos”, disse Erivelto Rodrigues, economista da Austin Asis Consultoria.

Dívida impagável

Segundo o economista, a empresa, que tem cerca de 70 milhões de clientes, cometeu erros estratégicos que a levaram a ficar com uma dívida praticamente impagável. A receita da Oi atualmente não consegue abater a dívida, apenas os juros. “O resultado operacional de caixa dela mal consegue pagar os juros dessa dívida. E não consegue amortizar a dívida. A dívida caminha exponencialmente para um processo impagável”, destacou.

Para Rodrigues, o governo errou ao dar créditos de bancos públicos em alta escala à tele, e apostar que a operadora se sairia bem em um setor muito competitivo.

“O governo ter insistido em uma superempresa no setor de telecomunicações a meu ver não foi acertada. Competir em igualdade de condições com grandes empresas foi estratégia equivocada. Demanda um grande volume de recursos, exige vultosos investimentos, seja em tecnologia, marketing e infraestrutura”, concluiu Erivelto.

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212