Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Marconi volta a Brasília para discutir acordo firmado - Jornal Brasil em Folhas
Marconi volta a Brasília para discutir acordo firmado


Um dia depois da reunião entre governadores e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que selou o acordo de renegociação das dívidas dos Estados com a União, referendado pelo presidente interino, Michel Temer, o governador Marconi Perillo voltou ao Ministério da Fazenda para tratar dos desdobramentos da negociação.

Nesta terça-feira, dia 21, acompanhado da secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão Costa, abordou com Meirelles assuntos específicos de Goiás, dentre eles os contratos que serão beneficiados com a carência estabelecida no acordo de ontem e, na condição de presidente do Consórcio de Governadores do Brasil Central, também defendeu o interesse dos demais estados que o integram.

As primeiras providências já começam a ser tomadas. Segundo o governador, o Estado terá seis meses de carência em relação a alguns contratos de financiamentos que possui cuja soma é estimada em R$ 11 bilhões. Este prazo dará a Goiás algo em torno de R$ 1 bilhão a menos de pagamento de dívida neste ano.

Marconi disse que não terá problemas na manutenção e até intensificação dos ajustes para cortar gastos e dar estabilidade às finanças do Estado. “Se nós já estamos fazendo um forte ajuste fiscal, com esse acordo iremos assegurar até o final do nosso governo e governos futuros, essa sustentabilidade fiscal e financeira”, avaliou.

Com o R$ 1 bilhão que o Estado irá economizar este ano no pagamento do serviço de sua dívida, o governador disse que pretende deixar o estado zerado do ponto de vista fiscal e financeiro. “Nós tínhamos uma previsão de déficit por conta dos salários e das dívidas. Com esse acordo, nós queremos chegar ao final do ano sem déficit e com uma situação muito confortável”, comentou.

O governador fez questão de esclarecer que nem todos os contratos de Goiás foram contemplados, portanto não há uma negociação de 100% das dívidas do Estado. “Mas – salientou – nos sentimos amplamente contemplados com o acordo. Isso será bom para todos os governos de uma maneira geral, especialmente para os estados que já fizeram um rigoroso ajuste fiscal, como é o nosso caso”.

Ao considerar que os estados celebraram um “grande acordo” na renegociação de suas dívidas, ele lembrou que trabalha há 18 anos por uma negociação que pudesse garantir o refinanciamento dos contratos. “O governo tomou uma decisão rápida, eficiente e isso é um bom sinal para a economia dos nossos estados e para a economia do Brasil”, acrescentou.

Por fim, disse acreditar que a economia do Brasil já está melhorando. “Os brasileiros já estão sentindo uma mudança para melhor na economia. Eu perguntei ao ministro como ele vê todo esse movimento para tirar o Brasil da crise, e ele me disse que se trata do respaldo da sociedade ao esforço do governo em tomar todas as medidas necessárias para isso. Ele está bastante animado com relação ao futuro”, disse.

Almoço
O governador chegou em Brasília por volta de meio dia e dirigiu-se ao Comando Militar do Planalto da 11ª Região, localizado no Setor Militar Urbano, para um almoço com o comandante, general de divisão Cesar Leme Justo. O encontro serviu para o estreitamento das relações entre o governo do Estado e o Exército brasileiro.

O comando tem como função compartilhada a defesa do território e a garantia da lei e da ordem. Em Goiás dispõe de cinco unidades e três tiros de guerra. Sua abrangência vai do Tocantins ao triângulo mineiro passando por Goiás e Distrito Federal.

Durante o encontro, o general elogiou os colégios militares de Goiás. “Eles têm se destacado frente aos modelos tradicionais de ensino”, afirmou. Por sua vez, o governador Marconi Perillo falou da convergência que existe da segurança pública de Goiás com as forças do exército. “Essas conversas servem para que a gente possa aprimorar o relacionamento”, salientou.

 

Últimas Notícias

Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
John Forman recusa cargo no Conselho de Administração da Petrobras
Em visita oficial, Macri é recebido no Planalto por Bolsonaro
Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
Receita abre consulta a restituição do Imposto de Renda de 2008 a 2018

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212