Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Os 5 assuntos que vão agitar o mercado nesta terça-feira - Jornal Brasil em Folhas
Os 5 assuntos que vão agitar o mercado nesta terça-feira


SÃO PAULO - O Ibovespa teve queda na última segunda-feira (27) pressionado por Petrobras e bancos no segundo pregão consecutivo de pessimismo após a aprovação do Brexit. Nesta terça-feira (28), o mercado fica de olho na sabatina no Senado dos novos diretores do Banco Central e na entrevista do presidente da autoridade monetária, Ilan Goldfajn. Confira os cinco assuntos que você precisa acompanhar hoje:

1. Bolsas mundiais Após dois dias de derrocada das bolsas mundiais após a votação do Brexit, com 52% do Reino Unido votando pela saída da União Europeia, o dia é de recuperação para os mercados. O inglês FTSE 100 sobe 2,38%, o alemão DAX tem ganhos de 2,24%, enquanto o espanhol IBEX 35 tem ganhos de 3,08% e o italiano FTSE MIB dispara 4,06%. O dólar se enfraquece contra maioria das demais moedas e as commodities se valorizam, com o petróleo brent registrando ganhos de 2,67%, a US$ 48,42 o barril. Os yields dos treasuries avançam. Ativos ensaiam melhora em meio à expectativa de atuações dos Bancos Centrais, antes de encontro de líderes da União Europeia em Bruxelas. A libra sobe 0,85%, a US$ 1,333, após dois dias de derrocada ante a divisa americana. O presidente do BCE (Banco Central Europeu), Mario Draghi, apelou hoje aos grandes BCs que coordenem melhor suas políticas para lidar com o problema da inflação extremamente baixa, alertando que desvalorizações cambiais competitivas são prejudicais para a economia global. Draghi, que falou durante conferência do BCE em Portugal, disse que a adoção de políticas monetárias divergentes pelos principais bancos centrais pode causar incertezas sobre suas intenções, o que, por sua vez, leva a maior volatilidade cambial e prêmios de risco. Na Ásia, o dia também foi de alívio, com o japonês Nikkei fechando em alta de 0,09%, enquanto Xangai fechou com ganhos de 0,58% e Hang Seng teve queda de 0,27%. Nos EUA, o dia aponta para alta, com o Dow Jones, o S&P e o Nasdaq futuros em alta superior a 1%.

2. Novos diretores do BC A CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado fará nesta terça a leitura do relatório de indicados ao Banco Central nas diretorias de Política Econômica, Política Monetária, Assuntos Internacionais e Relações Institucionais. Os indicados são, respectivamente, Carlos Viana de Carvalho, Reinaldo Le Grazie, Tiago Couto Berriel e atual procurador do BC, Isaac Sidney. A sabatina ocorrerá provavelmente no dia 5 de julho. Com a aprovação dos novos nomes, deixam os cargos os atuais diretores Altamir Lopes (Política Econômica), Aldo Mendes (Política Monetária) e Tony Volpon (Assuntos Internacionais). Luiz Feltrim, que era o titular de Relacionamento Institucional, permanece no colegiado como diretor de Administração. Com essa reestruturação, o Copom volta a ser formado por nove membros - oito diretores e mais o presidente.

3. Relatório Trimestral de Inflação Hoje às 8h30 (horário de Brasília) sai o Relatório Trimestral de Inflação, o primeiro sob o comando de Ilan Goldfajn. Espera-se que o documento traga os pontos principais sobre a política monetária da nova equipe do BC. Além da importância do relatório, a entrevista de Goldfajn às 11h explicando o texto também deve ser observada de perto pelos investidores. O relatório vai ser “muito importante” e o mercado focará na projeção do BC para 2017, diz Ítalo Lombardi, economista-sênior para América Latina do Standard Chartered Bank. “A diretoria mudou, mas o modelo do BC não mudou”, diz Lombardi.

4. PIB dos EUA Será hoje também divulgada a terceira estimativa do PIB (Produto Interno Bruto) dos Estados Unidos para o quarto trimestre de 2015. A expectativa mediana dos economistas é de que a maior economia do mundo cresça 1,0%, ante 0,8% registrados na segunda prévia. O número sai às 9h30.

5. Resultado Primário do Governo Central Às 15h sai o Resultado Primário do Governo Central, entidade formada por Banco Central, Previdência e Tesouro Nacional, de maio. A estimativa mediana dos economistas é de que tenha sido registrado um déficit primário de R$ 15,7 bilhões no período. Em abril, o governo central teve um superávit de R$ 9,80 bilhões.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212