Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Secretaria de Educação confirma desocupação de mais quatro escolas em Goiás - Jornal Brasil em Folhas
Secretaria de Educação confirma desocupação de mais quatro escolas em Goiás


A Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) informou hoje (25), por meio de nota divulgada à tarde, que mais quatro escolas foram desocupadas nesta segunda-feira em Goiás: colégios estaduais Ismael Silva de Jesus e Professor Pedro Gomes (Goiânia), Colégio Estadual Rui Barbosa (Aparecida de Goiânia) e Presidente Costa e Silva (São Luis de Montes Belos). Com isso, o número de escolas ocupadas caiu para 23 no estado.

Segundo a nota, pais, professores e alunos das escolas participaram das desocupações e reinvindcaram o espaço para que as aulas pudessem começar. Para toda a rede estadual, as aulas começaram na última quarta-feira (20), mas a Seduce decidiu adiar as aulas nas escolas ocupadas até que elas fossem desocupadas e vistoriadas. A secretaria informou ainda que as quatro escolas devem voltar a funcionar na quarta-feira (27), depois de um processo de reorganização e planejamento.

Pelo Facebook, na página Secundaristas em Luta - GO, estudantes e apoiadores das ocupações relatam que a desocupação do Colégio Estadual Ismael Silva de Jesus foi feita pela Polícia Militar, enquanto eles ainda estavam dormindo e que os estudantes foram agredidos.

Na mesma nota, a secretaria disse que, por volta das 6 horas da manhã, um grupo de pais de estudantes da escola "expulsou os ocupantes da unidade, com o objetivo de que os filhos pudessem começar o ano letivo de 2016".

De acordo com a Seduce, cerca de dez pais, acompanhados do diretor da escola e do Conselho Tutelar, entraram na unidade para pedir mais uma vez que os manifestantes saíssem. Segundo os pais, dez desconhecidos e dois alunos mantinham a ocupação.

Ocupações

O movimento de ocupações começou no início de dezembro do ano passado. Os municípios com escolas ocupadas são Goiânia, São Luís de Montes Belos, Cidade de Goiás, Anápolis e Aparecida de Goiãnia. O movimento é contra o modelo proposto pelo governo estadual para a administração das escolas.

Pela proposta, as escolas passam a ser geridas por organizações sociais (OS), que são entidades privadas sem fins lucrativos. As OS deverão cuidar da administração e infraestrutura das unidades e poderão também contratar professores e funcionários administrativos. O projeto piloto será implantado em 23 escolas de Anápolis e entorno. A intenção é que ainda este ano 200 escolas passam a ser geridas pelas entidades.

A Seduce informou que não suspenderá o processo, mas que está aberta ao diálogo. Conforme a secretaria, as escolas continuarão "100% públicas e gratuitas". O objetivo do novo modelo, segundo o governo, é dar mais eficiência e melhorar a qualidade das unidades, que terão estruturas melhoradas e manutenção constante. Na nota divulgada hoje, a Seduce afirma que respeita "o direito de livre manifestação, bem como entende que é direito do aluno estudar e do professor de trabalhar".

Reintegração de posse

Ao todo, a Justiça de Goiás decidiu pela desocupação de 14 escolas. Juízes das comarcas de Aparecida de Goiânia e de Anápolis determinaram a reintegração de posse das escolas ocupadas nos dois municípios, três em Aparecida de Goiânia - uma delas foi desocupada hoje - e oito em Anápolis.

No último dia 14, o Tribunal de Justiça de Goiás já havia divulgado a decisão de que três escolas públicas estaduais terão de ser desocupadas em Goiânia: José Carlos de Almeida, Lyceu de Goiânia e Robinho Martins de Azevedo. Segundo o tribunal, os manifestantes têm até 15 dias para cumprir a decisão, sob pena de requisição de força policial e multa diária no valor de R$ 50 mil, a ser revertida ao fundo estadual da educação.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212