Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Cai para 26 número de escolas ocupadas por estudantes em Goiás - Jornal Brasil em Folhas
Cai para 26 número de escolas ocupadas por estudantes em Goiás


O Colégio Ismael Silva de Jesus, em Goiânia, ocupado por estudantes desde o dia 17 de dezembro do ano passado, foi desocupado hoje (25) de manhã. No Facebook, alunos relatam que a escola foi invadida por policiais militares e que os ocupantes foram agredidos. A Polícia Militar do Estado de Goiás nega as agressões e diz que foi acionada por pais de alunos preocupados com a segurança dos filhos.

Pelo Facebook, na página Secundaristas em Luta - GO, estudantes e apoiadores das ocupações relatam que a desocupação da escola ocorreu enquanto eles ainda estavam dormindo. "Havia pelo menos cinco viaturas da polícia. Colocaram os alunos para fora a pontapés, chutes, empurrões, sendo que não havia mandado de reintegração para esta escola", diz a publicação. "Os alunos estão muito machucados", acrescentam os estudantes, informando que a maioria dos alunos tem 13 e 16 anos.

Na página do Facebook da escola, Ocupação Ismael Silva de Jesus, os integrantes do movimento postam fotos e vídeos das atividades feitas por eles em janeiro. Há imagens de aulas de dança e lutas marciais abertas a toda a comunidade. Os estudantes também limpavam a escola e chegaram a plantar uma horta.

Com o início das aulas na rede pública, na última quarta-feira (20), a pressão aumentou. Uma publicação na página, feita no dia, diz: "Precisamos de apoio urgente, há pessoas revoltadas no portão, ameaçando invadir a escola e nos agredir. Um homem nos ameaçou, dizendo que, às 18h30, irá invadir a escola com um grupo de pessoas".

A PM diz que a ação foi realizada de "forma legal e em estrito cumprimento de seu dever constitucional", diz em nota. "Recebemos a ligação de pais de alunos pelo 190. A maioria dos invasores não era estudante da escola. Os pais foram fazer a matrícula e foram recebidos com agressividade. A PM esteve no local para atender a ocorrência. Não houve agressão", acrescenta o assessor de comunicação e porta-voz da polícia, Ricardo Mendes.

Mendes enviou à Agência Brasil um vídeo em que uma mulher, que não diz nome, mas se identifica como uma das mães de alunos. Segundo a mulher, no local, havia tráfico de drogas e os pais estavam preocupados com a segurança dos filhos e da comunidade. Ela diz que quer os filhos estudando.

As aulas nas escolas ocupadas estão suspensas até que os colégios sejam desocupados e vistoriados, informou a Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce).

Ocupações

Com a saída dos estudantes do Colégio Ismael, o número de colégios ocupados no estado de Goiás caiu para 26. Os municípios que têm escolas ocupadas são Goiânia, São Luís de Montes Belos, Cidade de Goiás, Anápolis e Aparecida de Goiãnia. O movimento é contra o modelo de administração das escolas, proposto pelo governo estadual.

Pela proposta, as escolas passam a ser geridas por organizações sociais (OS), que são entidades privadas sem fins lucrativos. As OS deverão cuidar da administração e infraestrutura das escolas e poderão também contratar tanto professores quanto funcionários administrativos. O projeto piloto será implantado em 23 escolas de Anápolis e entorno.

Para um grupo de estudantes e professores, a decisão foi tomada sem diálogo com a comunidade escolar. De acordo com a Seduce, as escolas continuarão "100% públicas e gratuitas". O objetivo do novo modelo, segundo o governo, é dar mais eficiência e melhorar a qualidade das unidades, que terão as estruturas melhoradas e manutenção constante.

Reintegração de posse

Ao todo, a Justiça de Goiás decidiu pela desocupação de 14 escolas. Juízes das comarcas de Aparecida de Goiânia e de Anápolis determinaram a reintegração de posse das escolas ocupadas nos dois municípios, três em Aparecida de Goiânia e oito em Anápolis.

No último dia 14, o Tribunal de Justiça de Goiás já havia divulgado a decisão de que três escolas públicas estaduais terão que ser desocupadas em Goiânia: José Carlos de Almeida, Lyceu de Goiânia e Robinho Martins de Azevedo. Segundo o tribunal, os manifestantes têm até 15 dias para cumprir a decisão, sob pena de requisição de força policial e multa diária no valor de R$ 50 mil, a ser revertida ao fundo estadual da educação.

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212