Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Haddad sanciona lei que institui política municipal para população migrante - Jornal Brasil em Folhas
Haddad sanciona lei que institui política municipal para população migrante


O prefeito da capital paulista, Fernando Haddad, sancionou o projeto de lei que institui a Política Municipal para a População Migrante na noite de hoje (7), durante abertura da sétima edição do Fórum Mundial das Migrações, no auditório do Centro Esportivo e de Lazer Tietê.

“A lei que acabo de sancionar institucionaliza programas importantes do governo, que agora passam a ser política de Estado. Ou seja, independentemente do governo, todo prefeito terá que observar o que está escrito na lei”, explicou Haddad ao comentar a importância da política.

“Essa lei institucionaliza o centro de referência do migrante e o conselho participativo com voto dos imigrantes, porque aqui em São Paulo, imigrante vota e vai ter representante eleito para opinar sobre os destinos da cidade. Essa lei institucionaliza o conjunto de políticas públicas para que nós possamos acolher mais e melhor os imigrantes que escolheram São Paulo como destino”, disse.

O prefeito destacou que a cidade é uma terra de muitos povos, e que foi construída não só por migrantes de todas as regiões do Brasil, mas também por imigrantes de todos os continentes. “Temos aqui a maior comunidade italiana fora da Itália, a maior comunidade japonesa fora do Japão e a maior comunidade libanesa fora do Líbano”, disse.

Segundo ele, a cidade vive nova onde migratória, com pessoas vindas do Haiti, da Síria, da Bolívia e de países africanos. “Pessoas de todos os continentes, que buscam oportunidades em São Paulo, que encontram aqui acolhida e uma terra de oportunidades e de respeito aos direitos humanos”, salientou.

No discurso, Haddad disse esperar que outros prefeitos sigam o exemplo de São Paulo e criem leis para os imigrantes, que são importantes, segundo ele, principalmente pela atual conjuntura de migrações pelo mundo.

O Fórum

“Estamos aqui porque acreditamos no potencial dos migrantes na construção de alternativas frente à globalização da morte que o capital nos traz”, disse Luis Badejo, representante do movimento Grito dos Excluídos. Segundo ele, os 250 milhões de imigrantes e os 750 milhões de migrantes internos produzem riquezas, que nunca foram avaliadas, mas citou como exemplo os Estados Unidos, onde os imigrantes são responsáveis por 33% do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas e seerviços produzidos no país).

Ele finalizou, dizendo que o movimento rechaça todas as formas de criminalização da migração e as políticas neoliberais. “Somos todos migrantes, e juntos queremos buscar um mundo possível onde todos possam viver com dignidade. Penso que essa é uma das bandeiras que devemos defender aqui”, acrescentou.

O Fórum Mundial das Migrações segue até o próximo domingo (10), com diversas atividades no Centro Esportivo e de Lazer Tietê e na Universidade Zumbi dos Palmares. O tema do evento neste ano é “Migrantes construindo alternativas frente à desordem e à crise global do capital”.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212