Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Servidores da Uerj protestam em frente ao prédio do secretário de Fazenda do Rio - Jornal Brasil em Folhas
Servidores da Uerj protestam em frente ao prédio do secretário de Fazenda do Rio


Aproximadamente 15 professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) protestaram hoje (13) em frente à casa do secretário estadual de Fazenda do Rio, Júlio Bueno, na Lagoa, zona sul da cidade, para cobrar melhorias nas condições de trabalho dos servidores, repasse de verba à instituição e reajuste salarial.

A presidenta da Associação de Docentes da Uerj (Asduerj), Lia Rocha, explicou que esse já é o terceiro deste tipo. Os servidores já protestaram em frente às residências do governador Luiz Fernando Pezão e de seu vice, atual governador em exercício, Francisco Dornelles. Lia disse que a principal reivindicação é a falta de diálogo com os representantes do estado.

“Dificilmente conseguimos contato com alguém que possa responder pelo governo, mas quando conseguimos a resposta é padrão: que o Estado passa por uma grave crise e que não tem solução. Pensando nisso que passamos a protestar em frente ao espaço pessoal de cada um deles. Se nos tiram nosso dinheiro, nossa dignidade e outras coisas, tiraremos o sossego deles”, destacou.

A presidenta lamentou a situação da universidade. Segundo ela, ainda que os professores quisessem, não poderiam retornar às aulas, pois a instituição está em estado gravíssimo, faltando itens básicos como limpeza. A situação dos professores, de acordo com Lia, também não é nada boa.

“A gente lamenta, porque sabemos que isso não faz bem aos alunos, funcionários e até nós mesmos, professores. Mas ainda que encerrássemos esses quatro meses de greve hoje, não teríamos condições mínimas de trabalho amanhã. Falta tudo. Quantas funcionárias de limpeza foram demitidas, deixando as instalações insalubres? Não dá, é impossível. Os professores não recebem. Temos docentes aposentados que ganham um salário de 2001. A inflação disparou, não tem como ganhar a mesma quantia de 15 anos atrás. Precisamos desse reajuste e de melhorias para a Uerj como um todo”, afirmou.

A Secretaria Estadual de Fazenda limitou-se a dizer que o secretário Júlio Bueno pede desculpas aos vizinhos pelo barulho e incômodo causado pelos manifestantes em frente ao edifício.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212