Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Governo paulista terá que restaurar Chaminé da Luz, símbolo da Revolta de 1924 - Jornal Brasil em Folhas
Governo paulista terá que restaurar Chaminé da Luz, símbolo da Revolta de 1924


O governo do estado de São Paulo foi condenado pela Justiça Federal a restaurar e preservar a Chaminé da Luz, no centro da capital paulista, que pertencia à antiga Usina Elétrica da Luz, foi construída entre 1892 e 1896 e é símbolo do processo de eletrificação da cidade, além de ter em suas paredes resquícios da Revolta Paulista de 1924.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), autor da ação, a chaminé encontra-se em avançado estado de degradação, com grande quantidade de lixo nas instalações. O MPF ressalta que há necessidade de reparos importantes na estrutura da edificação e no sistema de para-raios.

De acordo com a sentença, o governo estadual deverá apresentar, dentro de um mês, um projeto de reparos emergenciais e manutenção mínima da Chaminé da Luz e iniciar sua execução no prazo de 45 dias, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

A Justiça determinou também que o Município de São Paulo e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) fiscalizem o cumprimento da decisão e, em caso de comprovada insuficiência econômica do governo estadual, repassem recursos financeiros ao governo de São Paulo. A decisão obriga ainda a prefeitura a tomar providências em relação à utilização do monumento por moradores de rua.

A decisão judicial concluiu que o estado de São Paulo é o proprietário da Chaminé da Luz e responsável por sua preservação. Nos últimos anos, a propriedade do monumento vinha sendo alvo de divergências: o governo estadual alegava ter transferido o monumento ao patrimônio municipal, enquanto a prefeitura entendia que o imóvel estava em área de propriedade estadual.

A Revolta

A Revolta Paulista de 1924, também conhecida como Revolução Esquecida, Revolução do Isidoro, Revolução de 1924 e Segundo 5 de julho, foi motivada pelo descontentamento dos militares com a crise econômica e a concentração de poder nas mãos de políticos de São Paulo e Minas Gerais. O objetivo principal do levante era depor o presidente Artur Bernardes e entre as reivindicações dos revoltosos estavam o voto secreto, a justiça gratuita e a instauração do ensino público obrigatório.

Iniciada na madrugada de 5 de julho, foi a segunda revolta tenentista, assim chamada pela participação de muitos tenentes do Exército, tal como na primeira rebelião tenentista, no Rio de Janeiro, dois anos antes, conhecida com a Revolta dos 18 do Forte [de Copacabana].

A revolta paulista terminou em 28 de julho de 1924 com a derrota dos rebelados pelas forças federais, na cidade de Três Lagoas, no atual Mato Grosso do Sul, depois que os rebeldes deixaram a capital do estado para escapar do exército legalista. Durante o conflito, vários bairros da cidade foram bombardeados por aviões do governo federal.

Nos 24 dias de conflito, mil pessoas morreram e quatro mil ficara m feridas. A rebelião foi comandada pelo general reformado Isidoro Dias Lopes e teve a participação, entre outros militares, de Eduardo Gomes, que na década de 50, já brigadeiro, seria candidato à presidência da República, derrotado por Getúlio Vargas.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212