Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Governo paulista terá que restaurar Chaminé da Luz, símbolo da Revolta de 1924 - Jornal Brasil em Folhas
Governo paulista terá que restaurar Chaminé da Luz, símbolo da Revolta de 1924


O governo do estado de São Paulo foi condenado pela Justiça Federal a restaurar e preservar a Chaminé da Luz, no centro da capital paulista, que pertencia à antiga Usina Elétrica da Luz, foi construída entre 1892 e 1896 e é símbolo do processo de eletrificação da cidade, além de ter em suas paredes resquícios da Revolta Paulista de 1924.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), autor da ação, a chaminé encontra-se em avançado estado de degradação, com grande quantidade de lixo nas instalações. O MPF ressalta que há necessidade de reparos importantes na estrutura da edificação e no sistema de para-raios.

De acordo com a sentença, o governo estadual deverá apresentar, dentro de um mês, um projeto de reparos emergenciais e manutenção mínima da Chaminé da Luz e iniciar sua execução no prazo de 45 dias, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

A Justiça determinou também que o Município de São Paulo e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) fiscalizem o cumprimento da decisão e, em caso de comprovada insuficiência econômica do governo estadual, repassem recursos financeiros ao governo de São Paulo. A decisão obriga ainda a prefeitura a tomar providências em relação à utilização do monumento por moradores de rua.

A decisão judicial concluiu que o estado de São Paulo é o proprietário da Chaminé da Luz e responsável por sua preservação. Nos últimos anos, a propriedade do monumento vinha sendo alvo de divergências: o governo estadual alegava ter transferido o monumento ao patrimônio municipal, enquanto a prefeitura entendia que o imóvel estava em área de propriedade estadual.

A Revolta

A Revolta Paulista de 1924, também conhecida como Revolução Esquecida, Revolução do Isidoro, Revolução de 1924 e Segundo 5 de julho, foi motivada pelo descontentamento dos militares com a crise econômica e a concentração de poder nas mãos de políticos de São Paulo e Minas Gerais. O objetivo principal do levante era depor o presidente Artur Bernardes e entre as reivindicações dos revoltosos estavam o voto secreto, a justiça gratuita e a instauração do ensino público obrigatório.

Iniciada na madrugada de 5 de julho, foi a segunda revolta tenentista, assim chamada pela participação de muitos tenentes do Exército, tal como na primeira rebelião tenentista, no Rio de Janeiro, dois anos antes, conhecida com a Revolta dos 18 do Forte [de Copacabana].

A revolta paulista terminou em 28 de julho de 1924 com a derrota dos rebelados pelas forças federais, na cidade de Três Lagoas, no atual Mato Grosso do Sul, depois que os rebeldes deixaram a capital do estado para escapar do exército legalista. Durante o conflito, vários bairros da cidade foram bombardeados por aviões do governo federal.

Nos 24 dias de conflito, mil pessoas morreram e quatro mil ficara m feridas. A rebelião foi comandada pelo general reformado Isidoro Dias Lopes e teve a participação, entre outros militares, de Eduardo Gomes, que na década de 50, já brigadeiro, seria candidato à presidência da República, derrotado por Getúlio Vargas.

 

Últimas Notícias

Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212