Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Internet das coisas domina debates em fórum internacional sobre software livre - Jornal Brasil em Folhas
Internet das coisas domina debates em fórum internacional sobre software livre


A nova revolução promovida pela internet é a conexão e troca de informação entre objetos do cotidiano das pessoas. A chamada internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) é o principal tema dos debates no 17º Fórum Internacional Software Livre (FISL), que termina neste sábado (16) em Porto Alegre. O evento reúne pesquisadores, profissionais e estudantes da área de tecnologia da informação (TI), que defendem a transparência da tecnologia, com o uso de códigos de programação abertos e de livre acesso.

“A internet das coisas é uma realidade. Hoje, nós já conseguimos encontrá-la em alguns produtos, como nas pulseiras que captam os batimentos cardíacos do nosso corpo e transmitem para o smartphone, por exemplo”, afirmou Desirée dos Santos, desenvolvedora de softwares (programas de computador) da ThoughtWorks Brasil e especialista em robótica. Ela apresentou um painel sobre o assunto no primeiro dia do fórum. “É claro que ainda não temos uma infraestrutura própria da IoT, com uma grande quantidade de objetos conectados a uma internet móvel de qualidade”, ressaltou.

Desirée reconheceu, porém, que os produtos com internet integrada ainda são caros para a maior parte da população. “Toda nova tecnologia tende a servir a um público muito restrito. A IoT precisa ser democrática e estar acessível a todas as pessoas.”

Segurança e privacidade

Para Desireé, duas questões precisam ser amplamente debatidas antes que a internet das coisas seja consolidada: a privacidade e a segurança das pessoas. Segundo a especialista, o problema da privacidade,é consequência do uso constante de um grande número de objetos e produtos conectados à internet. “Eles coletam dados importantes sobre você: o que faz, por onde anda, o que consome. Todos esses rastros são captados sem sua autorização, e você não tem noção de como isso está sendo utilizado”, explicou Desireé. Ela disse que a sociedade precisa debater o assunto para estabelecer limites a essa prática.

Sobre segurança, Desirée explicou que os produtos da IoT, por estarem conectados à internet, ficam sujeitos a ataques virtuais. “Se você instala um sistema para controlar as portas e janelas da sua casa, e alguém ataca esse sistema, quem vai se responsabilizar? O fornecedor, o governo?”

De acordo com a especialista, a disseminação do software livre pode ser uma solução para esse problema. “O código aberto permite que muito mais pessoas atuem juntas para consertar as brechas de segurança.”

O coordenador-geral da Associação Software Livre (ASL) e do FISL, Sady Jacques, também vislumbra nos programas de código aberto o futuro da IoT. “Não há nenhuma solução proprietária capaz de produzir, sozinha, internet das coisas em escala mundial. A interoperabilidade é fundamental, e só é alcançada ao limite quando utilizamos softwares livres.”

Com o avanço dos produtos conectados à rede, Jacques considera essencial que se discuta o espaço virtual, pois este é percebido cada vez mais como um grande negócio. “Os gigantes da tecnologia tendem a fazer da internet um espaço proprietário. Ela é uma plataforma que transaciona informação e, portanto, conhecimento”, ressaltou.

Para Jacques, os negócios na internet devem ser realizados em um modelo de colaboração e compartilhamento de informações. “Não se trata da ausência de negócios, mas sim da existência deles a partir de uma base de conhecimento aberta para todos. Consegue-se ter uma economia menos hierarquizada e mais capilarizada, que tende a atender melhor a sociedade como um todo”, afirmou.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212