Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Maia vai discutir pauta econômica com Meirelles - Jornal Brasil em Folhas
Maia vai discutir pauta econômica com Meirelles


O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), vai se reunir amanhã (27) com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, para uma avaliação sobre a pauta econômica brasileira e os assuntos que dependem de votação da Câmara. Entre os temas, Maia disse que irá conversar com Meirelles sobre o projeto de lei complementar do Executivo que trata da renegociação das dívidas dos estados e do Distrito federal com a União.

“Vamos discutir a pauta econômica. Tem o projeto de renegociação das dívidas dos estados. Já tem representantes de alguns estados procurando para debater o mérito da matéria, quero aproveitar e discutir isso com o governo, com o ministro da Fazenda. E há também algumas dúvidas em relação a alguns pontos da repatriação, pois a gente quer ver se vale a pena esclarecer esses pontos”, disse o presidente da Câmara.

A votação do projeto sobre a renegociação das dívidas dos estados está marcada para ocorrer a partir de segunda-feira (1º) no plenário da Câmara. Rodrigo Maia já convocou reunião de líderes para a tarde de segunda para que a votação do projeto seja iniciada na noite do mesmo dia. A ideia é concluir a votação do texto na primeira semana de agosto.

A proposta, relatada na Câmara pelo deputado Esperidião Amin (PP-SC), e negociada pela equipe econômica com os governadores, permite aos estados alongar a dívida com a União em 20 anos, reduzindo o valor das parcelas pagas hoje. Em contrapartida, os entes federados se comprometeriam a cortar gastos.

PEC dos gastos públicos

Maia defendeu hoje a aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC 241/16), que limita os gastos públicos para as despesas primárias nos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário (a chamada PEC do teto de gastos públicos). Pelo texto, o aumento dos gastos públicos ficará limitado à variação da inflação oficial do ano anterior.

Segundo Maia, se houver boa vontade e compromisso da base aliada do governo, mesmo com o processo eleitoral, será possível aprovar a PEC até o final deste ano.

Em relação à declaração do ministro Meirelles de que o governo cogita aumentar impostos se a PEC não fora aprovada, Maia disse que “como vai ser aprovada a PEC, [o ministro] não vai passar por dificuldade de ter que tratar de aumento de impostos aqui [na Câmara]”. O presidente da Câmara, no entanto, disse que não se sentiu pressionado com o comentário de Meirelles. “É uma questão de dado da realidade. O governo tem necessidade, o Estado tem necessidade de não apenas controlar gastos, mas também de reduzir gastos como um todo, tanto estados, como municípios e a União”, ponderou.

“Todos têm responsabilidade sobre a superação da crise no Brasil. Temos um déficit de R$ 150 bilhões que pode ser crescente. Algo tem que ser feito e temos que decidir se vamos aumentar imposto, o que eu acho que não resolve, ou vamos ter que reformar o Estado. Temos que escolher qual é o caminho, não tem milagre: ou você vai cobrir a despesa que é crescente ou você vai reformar o Estado para que as despesas, em vez crescer, passem a ser decrescentes para que o déficit diminua”, acrescentou Maia.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212