Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Colômbia declara fim da epidemia de zika - Jornal Brasil em Folhas
Colômbia declara fim da epidemia de zika


A Colômbia declarou nesta segunda-feira o fim da epidemia de zika, que nos últimos dez meses afetou quase 100.000 pessoas e provocou microcefalia em ao menos 21 recém-nascidos no país, informaram autoridades sanitárias.

O Ministério da Saúde deu por concluída a epidemia, que começou em setembro passado e teve um impacto menor que o previsto inicialmente, com o número de casos registrados de zika tendo diminuído para menos de 1.000 por semana, situando-se entre 600 e 700.

A Colômbia é o primeiro país do continente americano a declarar o fim da epidemia, disse em coletiva de imprensa o vice-ministro de Saúde Pública, Fernando Ruiz, detalhando que agora o vírus entra em sua fase endêmica, onde o número de casos provavelmente vai se manter muito pequeno.

É um vírus que chega para ficar, embora tenha acabado a fase epidêmica de maior ocorrência de casos, explicou Ruiz.

Durante a epidemia foram notificados na Colômbia 99.721 casos de zika, um vírus transmitido principalmente por mosquitos, mas também por contato sexual ou com o sangue de pessoas infectadas, e que pode causar malformações em fetos e transtornos neurológicos.

Esse número, afirmou o responsável, é muito menor do que os entre 450.000 e 600.000 casos que tinham sido previstos no início da epidemia.

Do total, 17.730 casos ocorreram em grávidas. Entre estas mulheres, 12.587 já deram à luz e, desses bebês, 256 apresentaram malformações congênitas, entre as quais se encontra a microcefalia, e que podem ou não estar vinculadas ao zika, afirmou ante a imprensa a diretora do Instituto Nacional de Saúde, Martha Lucía Ospina.

Dentro desses casos, foram confirmados 21 de microcefalia associados ao zika, e 160 continuam em análise.

O vice-ministro disse que, segundo um cálculo das autoridades de saúde, a maioria dos casos de microcefalia vai ocorrer muito provavelmente (nos bebês que nascerão) entre agosto e setembro deste ano, apesar de que já no mês de julho estamos em fase crescente do número de microcefalias, que poderiam chegar a ser entre 100 e 300 no total.

Em relação aos casos da síndrome neurológica de Guillain-Barré relacionados com o zika, Ruiz disse que foi registrado um total de 350 casos até a semana 28 deste ano (início de junho).

Na maioria das vezes, o zika se propaga através do mosquito Aedes aegypti, presente em 130 países e que também transmite a dengue, a febre amarela e a chicungunha. Mas estudos recentes mostram que a doença também pode ser transmitida sexualmente entre seres humanos portadores do vírus, em alguns casos de forma assintomática.

Não existe vacina, tratamento nem exames de diagnóstico rápido para este vírus, descoberto em 1947 na Uganda. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), ao menos uma dúzia de laboratórios e agências públicas do mundo estão trabalhando em uma vacina cuja comercialização poderia levar anos.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212