Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Após sete horas, comissão ouve leitura de dois pareceres sobre impeachment - Jornal Brasil em Folhas
Após sete horas, comissão ouve leitura de dois pareceres sobre impeachment


Os membros da Comissão Processante do Impeachment concluíram, após cerca de sete horas, a reunião de hoje (2) destinada à leitura do parecer do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) e do voto em separado apresentado pelos senadores que apoiam a presidenta afastada Dilma Rousseff.

Anastasia levou aproximadamente quatro horas para ler seu parecer, favorável à pronúncia e cassação definitiva do mandato de Dilma Rousseff por crime de responsabilidade. Para ele, a crise econômica que o país vive é fruto de atos irresponsáveis da presidenta, por ação direta ou omissão em situações que dependiam de seu comando.

Os senadores suspenderam a reunião durante um período para abertura da ordem do dia no plenário do Senado, mas o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), cancelou as sessões deliberativas desta semana em razão dos trabalhos da comissão e da sessão conjunta do Congresso Nacional marcada para hoje.

Na retomada da reunião, os senadores que apoiam a presidenta Dilma apresentaram um voto em separado, que foi lido alternadamente pelas senadoras Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Kátia Abreu (PMDB-TO). Eles pedem a absolvição de Dilma e consideram que, ao contrário do que é alegado no relatório de Anastasia, a fase de instrução processual provou que a presidenta afastada é inocente das acusações de crime de responsabilidade.

Os senadores pró-Dilma questionam ainda a legitimidade do processo, em razão de alegado vício de origem no momento em que a denúncia foi acatada pelo ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e argumentam que o relator do caso deveria ter sido considerado impedido por estar ligado a partido que era oposição ao governo.

Amanhã (3) de manhã, os senadores voltam a se reunir para discutir os dois pareceres. A votação dos relatórios na comissão está marcada para quinta-feira (4) e para o plenário, na fase de pronúncia, para a próxima terça-feira (9).

Senadores e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowiski, ainda discutem se a data do julgamento final será marcada para os dias 25, 26 ou 29 deste mês.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212