Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Casa noturna de São Paulo se compromete a não discriminar frequentadores - Jornal Brasil em Folhas
Casa noturna de São Paulo se compromete a não discriminar frequentadores


O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) e a casa noturna Villa Mix assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), em que o estabelecimento se compromete a não fazer seleção arbitrária de seus frequentadores. Segundo inquérito, ex-funcionários da casa relataram que eram orientados a selecionar clientes por critérios de raça, posição social e padrão estético.

Os clientes que enviarem, antecipadamente, os nomes para serem incluídos em uma lista de reserva vão entrar na casa por ordem de chegada. A Villa Mix ainda terá de reafirmar, no e-mail enviado como resposta aos frequentadores, que repudia discriminação:

“Ressaltamos, ademais, que a casa repudia qualquer forma de discriminação em virtude de raça, sexo, orientação sexual, identidade de gênero, cor, origem, condição social, idade, porte ou presença de deficiência e doença não contagiosa por convívio social ou qualquer outra forma de discriminação”.

Denúncias postadas há um ano no Facebook deram início ao inquérito do MP-SP. A jornalista Stephanie Calazans, de 24 anos, uma das criadoras da página com críticas à casa noturna, contou que teve a iniciativa ao presenciar a discriminação contra uma amiga.

Em entrevista à Agência Brasil, em agosto do ano passado, a jornalista disse que tentava entrar com duas amigas na Villa Mix e que uma delas foi barrada. “Era aniversário dela, e as três tinham nome na lista. Eles ficaram perguntando o número do RG e alegando que estava errado, mas a gente viu que era mentira. Foi uma situação bem humilhante. Minha amiga é simples, humilde, não tem os padrões da casa. Não usa salto, nem maquiagem pesada, nem roupa justa. E ela é parda”, disse a jornalista.

A Agência Brasil tentou entrar em contato com a assessoria de imprensa da Villa Mix, mas ninguém atendeu ao telefone. Quando foi instaurado o inquérito, a casa informou que trabalha com idoneidade e sem qualquer prática de discriminação.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212