Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Casa noturna de São Paulo se compromete a não discriminar frequentadores - Jornal Brasil em Folhas
Casa noturna de São Paulo se compromete a não discriminar frequentadores


O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) e a casa noturna Villa Mix assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), em que o estabelecimento se compromete a não fazer seleção arbitrária de seus frequentadores. Segundo inquérito, ex-funcionários da casa relataram que eram orientados a selecionar clientes por critérios de raça, posição social e padrão estético.

Os clientes que enviarem, antecipadamente, os nomes para serem incluídos em uma lista de reserva vão entrar na casa por ordem de chegada. A Villa Mix ainda terá de reafirmar, no e-mail enviado como resposta aos frequentadores, que repudia discriminação:

“Ressaltamos, ademais, que a casa repudia qualquer forma de discriminação em virtude de raça, sexo, orientação sexual, identidade de gênero, cor, origem, condição social, idade, porte ou presença de deficiência e doença não contagiosa por convívio social ou qualquer outra forma de discriminação”.

Denúncias postadas há um ano no Facebook deram início ao inquérito do MP-SP. A jornalista Stephanie Calazans, de 24 anos, uma das criadoras da página com críticas à casa noturna, contou que teve a iniciativa ao presenciar a discriminação contra uma amiga.

Em entrevista à Agência Brasil, em agosto do ano passado, a jornalista disse que tentava entrar com duas amigas na Villa Mix e que uma delas foi barrada. “Era aniversário dela, e as três tinham nome na lista. Eles ficaram perguntando o número do RG e alegando que estava errado, mas a gente viu que era mentira. Foi uma situação bem humilhante. Minha amiga é simples, humilde, não tem os padrões da casa. Não usa salto, nem maquiagem pesada, nem roupa justa. E ela é parda”, disse a jornalista.

A Agência Brasil tentou entrar em contato com a assessoria de imprensa da Villa Mix, mas ninguém atendeu ao telefone. Quando foi instaurado o inquérito, a casa informou que trabalha com idoneidade e sem qualquer prática de discriminação.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212