Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Presos no Rio policial e agente penitenciário suspeitos de lavagem de dinheiro - Jornal Brasil em Folhas
Presos no Rio policial e agente penitenciário suspeitos de lavagem de dinheiro


Em um desdobramento da Operação Dominação, a Polícia Federal e o Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) prenderam nesta terça-feira (2) o policial federal Leonaro Siqueira e o ex-chefe de segurança do presídio de segurança máxima Ary Franco, Iclair Oliveira. Os dois foram denunciados ao Juízo de São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, como integrantes de uma organização criminosa que envolvia agentes públicos de Arraial do Cabo, acusados de peculato e lavagem de dinheiro do tráfico de drogas.

O agente penitenciário foi preso em casa, na capital fluminense. Ex-chefe de segurança do presídio, entre janeiro e dezembro de 2015, Oliveira é acusado de permitir que o líder de uma quadrilha de traficantes conhecido como Chico da Ecatur usasse equipamentos de comunicação como celulares, tablets e computadores para comandar um grupo dentro do presídio. Chico da Ecatur é pai de Cadu Playboy, preso em janeiro do ano passado, na primeira fase da Operação Dominação,

O policial Leonardo Siqueira também foi preso em casa no município de Arraial do Cabo. As provas indicam que ele atuou como informante da organização criminosa, repassando a Chico da Ecatur dados sigilosos da investigação.

A denúncia e as prisões preventivas decretadas pela Justiça tiveram por base uma nova investigação, na qual se descobriu que a quadrilha planejava matar um promotor de Justiça e um delegado da Polícia Federal. Por esse motivo, em junho, foi deferida a transferência de Chico da Ecatur para um presídio federal.

Na operação de hoje, também houve condução coercitiva de testemunhas nos municípios do Rio e de Arraial do Cabo, que prestaram depoimento e foram liberadas. Os presos foram levados para a Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio de Janeiro.

Denúncia

De acordo com a primeira denúncia, liderada por Cadu Playboy, a quadrilha era integrada à facção criminosa Comando Vermelho e atuava no comércio de drogas em pontos de venda implantados e mantidos em localidades da Região dos Lagos. Playboy também adquiria e recebia de fornecedores e associados armas de fogo e munição de diversos calibres, além de auxílio de outro denunciado, João Paulo Firmiano Mendes da Silva. Espécie de chefe ativo, João Paulo era integrante da mesma facção criminosa e chefe da comunidade da Mangueira, no Rio.

A quadrilha também praticou crimes eleitorais no primeiro turno das eleições de outubro de 2014. Cadu Playboy arregimentou moradores de Cabo Frio e São Pedro da Aldeia para a compra de votos e boca de urna em favor de candidatos a deputado estadual e federal. O grupo chegou a praticar atos de violência para afastar cabos eleitorais adversários. O objetivo era lançar a candidatura vereador, no pleito deste ano, de pessoas da comunidade ligadas ao tráfico.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212