Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Venezuela reage à carta de Serra sobre comando do Mercosul - Jornal Brasil em Folhas
Venezuela reage à carta de Serra sobre comando do Mercosul


A Venezuela reagiu hoje (2) a um comunicado do ministro das Relações Exteriores do Brasil, José Serra, sobre a presidência pro tempore do Mercosul, motivo de impasse desde a última sexta-feira (29), quando o Uruguai deu por encerrrada sua gestão sem transferir oficialmente o comando do bloco para o país de Nicolás Maduro.

Serra enviou uma carta aos chanceleres dos países do grupo em que critica a saída do Uruguai e diz não reconhecer a Venezuela na presidência do Mercosul. Segundo o ministro, o governo brasileiro “entende que se encontra vaga” a presidência do bloco regional.

Para Serra, a decisão sobre o comando do Mercosul deveria ter sido postergada até que os integrantes do bloco resolvessem o impasse sobre a sucessão, que, segundo ele, não pode caber à Venezuela porque o país bolivariano não cumpriu requisitos e normas internas para tal.

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, o governo de Maduro informou que “reafirma o seu compromisso com os trabalhadores” apesar das “manobras que precederam a chegada da Venezuela à presidência [do Mercosul]”.

A presidência pro tempore do Mercosul é trocada a cada seis meses, e os países se revezam seguindo a ordem alfabética. Desde a última sexta, quando o Uruguai deixou o posto, a Venezuela reivindica a vaga.

Para o Uruguai, não há argumentos jurídicos que impeçam a transferência da presidência temporária do bloco para a Venezuela, mas Argentina, Brasil e Paraguai se opõem por causa da situação política do país de Maduro.

Em meados de julho, a Cúpula de Presidentes do Mercosul, onde ocorreria a transferência, foi cancelada. Reuniões do conselho do bloco para discutir o impasse também foram convocadas e suspensas por falta de consenso.

Uruguai

Na correspondência aos chanceleres, Serra criticou a “decisão unilateral” do Uruguai de dar por encerrado seu mandato no bloco. Segundo ele, a iniciativa “gera incerteza e impõe a necessidade de adoção de medidas pragmáticas para permitir o funcionamento do Mercosul”.

Serra manifestou apoio à solução proposta pela Argentina, de adotar um “mecanismo transitório de coordenação coletiva”.

Já a Venezuela, que classifica a questão como encerrada, denuncia no comunicado o que chama de “maquinações de extrema direita do sul do continente”. Para os venezuelanos, Argentina, Brasil e Paraguai “vêm atuando de maneira sorrateira por meio de maneiras legalistas para tentar impedir o que lhe pertence de direito”.

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212