Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Oposição apresenta voto em separado pela absolvição de Dilma - Jornal Brasil em Folhas
Oposição apresenta voto em separado pela absolvição de Dilma


O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) concluiu a leitura de seu parecer pela pronúncia da presidenta Dilma Rousseff para que ela seja definitivamente impedida por crime de responsabilidade. As senadoras Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) começaram, logo em seguida, a leitura do voto em separado elaborado por elas com outros colegas de oposição ao governo interino de Michel Temer pela absolvição da presidenta.

Antes de elas iniciarem o pronunciamento do voto em separado, a senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS), que conduz os trabalhos na ausência do presidente Raimundo Lira (PMDB-PB), estabeleceu prazo de 20 minutos para a leitura do parecer de 27 páginas.

As senadoras resumiram, no voto, os argumentos que vinham sendo utilizados pelos apoiadores de Dilma Rousseff em outras circunstâncias, como a apresentação de questões de ordem e requerimentos ao longo da fase de instrução processual.

Defesa

Gleisi argumentou que o relator Antonio Anastasia deveria ter sido considerado impedido de relatar o impeachment por “pertencer ao mesmo partido que os denunciantes”, dizendo que a advogada de acusação, Janaína Paschoal, é ligada ao PSDB, partido de Anatasia e que o acolhimento da denúncia foi feito pelo “vingativo ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha [PMDB-RJ], no exato dia em que o Partido dos Trabalhadores [o mesmo da Presidenta da República] declarou posição favorável junto ao Conselho de Ética, em relação à perda de mandato dele próprio”.

O voto em separado alega também que a junta pericial do Senado observou que “o Poder Executivo cumpriu as metas de resultado fiscal e que os decretos de contingenciamento foram suficientes para assegurar o resultado fiscal de 2015”, conforme trecho lido por Vanessa Grazziotin.

Argumentos de acusação contestados

O texto também rebate os argumentos para a condenação de Dilma pelas chamadas pedaladas fiscais referentes aos atrasos nos repasses do Plano Safra para o Banco do Brasil. “Nessa seara de argumentos da acusação, o Ministério Público Federal [órgão competente para a denúncia de crimes], por meio de despacho de 14 de julho de 2016, determinando o arquivamento da investigação em relação às operações do Plano Safra, pela clarividente inexistência de condutas criminosas no âmbito da Operação do Plano Safra, haja vista a inexistência de operação de crédito”, disse.

Os senadores que apoiam a presidenta afastada dizem ainda que “as razões alegadas como crime de responsabilidade são em sua totalidade inconsistentes, tendo os depoentes, em sua esmagadora maioria, atropelado os argumentos da acusação”.

Após a leitura do voto em separado, serão concedidas vistas coletivas para que os senadores possam ler individualmente os dois votos. Amanhã, a partir das 9h está marcada a sessão de discussão dos pareceres na comissão e a votação para a quinta-feira (4).

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212