Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Comissão que discute medidas de combate à corrupção ouvirá Sérgio Moro na quinta - Jornal Brasil em Folhas
Comissão que discute medidas de combate à corrupção ouvirá Sérgio Moro na quinta


A comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa o projeto que trata das dez medidas de combate à corrupção referendou hoje (2) o convite para audiência com o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, na quinta-feira (4). Moro havia recebido o convite para falar na comissão, mas a decisão ainda precisava ser referendada pelos integrantes do colegiado. A audiência com Moro foi marcada para as 9h.

Na próxima semana, os deputados ouvirão o depoimento de procuradores integrantes da força-tarefa da Lava Jato. Foram aprovados os convites para o procurador federal Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa, e os procuradores federais Roberson Pozzobom e Diogo Castor de Mattos. A audiência foi marcada para o dia 9.

Além dos integrantes da força-tarefa, os deputados também aprovaram requerimentos para audiências com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, os ex-presidentes da Corte, Carlos Ayres Britto e Joaquim Barbosa; e o ministro Gilmar Mendes.

Entre outros requerimentos, os deputados aprovaram ainda o convite para audiências com o presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil, Roberto Veloso, o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, José Robalinho Cavalcanti, e do ex-juiz Márlon Reis, um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa, além dos ex-ministros da Controladoria-Geral da União Valdir Simão e Jorge Hage, e dos advogados Cláudio Lamachia e Marcelo Lavenere, respectivamente, presidente e ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Roteiro de trabalho

Durante reunião de abertura dos trabalhos do colegiado, o relator na comissão, Onyx Lorenzoni (DEM-RS) apresentou o roteiro de trabalho. Pelo calendário, as reuniões serão feitas todas as segundas e terças-feiras. As quintas-feiras ficaram reservadas para eventos especiais.

Segundo Lorenzoni, a intenção é concluir o relatório em outubro para que o texto esteja pronto para ser votado no plenário até o dia 9 de dezembro, Dia Internacional de Combate à Corrupção. “Vamos buscar todos aqueles que possam ajudar, não apenas para aprovar as dez medidas, mas para estabelecer um marco que faça com que nosso país possa varrer do mapa a corrupção”, disse.

Ida de Moro
Brasília - Entrevista com o deputado Onyx Lorenzoni durante a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff (Valter Campanato/Agência Brasil)

O relator na comissão, Onyx Lorenzoni, disse que a intenção é concluir o relatório em outubro para que o texto seja votado no plenário até dia 9 de dezembro Valter Campanato/Agência Brasil

A data sobre a ida de Moro foi bastante debatida no colegiado. Alguns parlamentares queriam adiar o depoimento do juiz com o argumento de que a audiência poderia ficar esvaziada devido a esta ser a semana em que os partidos fazem as convenções para escolher os candidatos para as eleições municipais de outubro.

O líder do PPS, Rubens Bueno (PR), argumentou que a audiência poderia ser reagendada para a próxima semana. “A semana que vem é a da burocracia, não temos nada a fazer a não ser registro de candidatos, poderíamos encaminhar para fazermos o máximo de reuniões que pudermos”, disse. O deputado Carlos Marun (PMDB-MS) disse que essa semana vai ser uma semana atípica com as convenções partidárias “Acredito que não seja a data mais adequada para se realizar essa audiência”.

Ao encerrar a reunião, o presidente da comissão, Joaquim Passarinho (PSD-PA) reafirmou a ida de Moro na quinta-feira. A data também foi defendida por Lorenzoni. “Na semana passada fizemos o pedido e ele [Moro] abriu a agenda e disse que na quinta-feira ele poderia vir”.

Projeto de combate à corrupção

Elaborado pelo Ministério Público, o projeto com as medidas de combate à corrupção recebeu mais de 2 milhões de assinaturas e foi apresentado ao Congresso Nacional por representantes da sociedade civil em 29 de março deste ano.

As medidas propõem: 1) prevenção à corrupção, transparência e proteção à fonte de informação; 2) criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos; 3) aumento das penas e crime hediondo para a corrupção de altos valores; 4) eficiência dos recursos no processo penal; 5) celeridade nas ações de improbidade adminstrativa; 6) reforma no sistema de prescrição penal; 7) ajustes nas nulidades penais; 8) responsabilização dos partidos políticos e criminalização do “caixa 2”; 9) prisão preventiva para assegurar a devolução do dinheiro desviado; e 10) recuperação do lucro derivado do crime.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212