Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Oct de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Apreço de Trump por Putin alimenta debate eleitoral nos EUA - Jornal Brasil em Folhas
Apreço de Trump por Putin alimenta debate eleitoral nos EUA


Bromance, neologismo que descreve a amizade forte entre dois homens, é uma palavra na moda para definir a relação entre Donald Trump e Vladimir Putin.

Não há prova de que o presidenciável republicano e o presidente russo se conheçam ao vivo, mas não foram poucas as demonstrações públicas de afeto trocadas.

A proximidade da dupla voltou à tona após a campanha de Hillary Clinton acusar hackers russos de roubarem, a serviço do Kremlin, informações de computadores do Partido Democrata.

Nessa tese, a sabotagem seria deliberada: Trump na Casa Branca, afinal, seria música nos ouvidos de Putin, diz à Folha Paul Christensen, especialista em Rússia do Boston College.

O empresário já sugeriu que reconheceria a anexação da região ucraniana da Crimeia por Moscou em 2014 (ocupação retaliada pelos EUA com sanções econômicas). Depois, sob pressão, recuou e disse que, se fosse presidente, a Rússia não entraria na Ucrânia.

Ele também refutou o alinhamento automático a outros integrantes da Otan (a aliança militar ocidental) sob eventual ataque russo.

Sem a Otan forte, Putin fica de mãos livres para reconstituir o império soviético. Seria uma reversão total da política externa que os EUA adotam desde a Segunda Guerra, diz Kathleen Bailey, também do Boston College.

E tanto Trump quanto Putin negam ligação com o vazamento de e-mails citando dirigentes democratas em um suposto complô contra o ex-adversário de Hillary nas prévias, Bernie Sanders.

Combustível para o bromance político, contudo, existe, afirma Bailey. Trump parece nutrir grande admiração pelo autoritarismo do Putin decisivo e machão, em contraste ao desdém que tem pela abordagem mais suave do presidente Obama.

O russo, que tinha no ex-premiê italiano Silvio Berlusconi seu mais querido parceiro internacional, mostra apreço por Trump, a quem chamou de brilhante.

Já com Hillary nunca se deu bem: achava que ela, quando secretária de Estado, tentava interferir demais em Moscou. O período (2009-13) foi marcado por medidas anti-EUA, de proibir a adoção de bebês russos por americanos a expulsar a Usaid (agência americana para o desenvolvimento internacional).

AMIGOS E RIVAIS
A animosidade contra a Rússia está em alta e reflete na ficção. O vilanesco Viktor Petrov, presidente russo na série House of Cards, emula até o físico de Putin.

Para 48% dos americanos, a ex-rival da Guerra Fria tenta influenciar as eleições americanas, e cerca de 60% têm opinião desfavorável sobre Moscou, segundo pesquisa da CNN.

Para Christensen, mais instigante é a intimidade do estrategista-chefe de Trump, Paul Manafort, com o ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovitch.

Tido como marionete do Kremlin, ele foi destituído em 2014, após uma aliança com os russos em detrimento da União Europeia deslanchar motins nacionais. Paul já o assessorou.

É importante saber se integrantes da campanha de Trump, ou ele próprio, têm conexões com a elite empresarial russa. Até porque é bem sabido que a elite russa não se mantém se não tiver boas relações com Putin.

 

Últimas Notícias

Apenas 3,3% dos estudantes brasileiros querem ser professores
Viagens domésticas podem chegar a cerca de 3 milhões no feriado
Brasil está bem para resistir a choques, diz Goldfajn para FMI
Boletos vencidos a partir de R$ 100 podem ser pagos em qualquer banco
Juiz decide manter Cabral na cela de isolamento
Justiça decreta prisão de 15 milicianos que agem na zona oeste do Rio
Uma das Sete Maravilhas do Mundo, Cristo Redentor completa 87 anos
Aplicativo vai auxiliar na fiscalização de motoristas e veículos

MAIS NOTICIAS

 

Equipe de transição deve ser definida hoje à tarde, diz Caiado
 
 
ONS vai reforçar ações de segurança energética nas eleições e no Enem
 
 
Inflação medida pelo INPC sobe para 0,30% em setembro
 
 
Universidades particulares terão disciplina sobre primeira infância
 
 
Com Enem, horário de verão começa no dia 18 de novembro
 
 
Governo anuncia recursos de R$ 600 milhões para o ensino médio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212