Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Estiagem deixa 11 municípios do Amazonas em estado de alerta - Jornal Brasil em Folhas
Estiagem deixa 11 municípios do Amazonas em estado de alerta


A falta de chuvas no primeiro semestre de 2016 nas calhas dos rios Juruá e Purus, no Amazonas, agravou a estiagem na região. O período é de vazante natural dos rios, mas a seca alcança níveis históricos, de acordo com a Defesa Civil do estado. Por isso, o órgão emitiu hoje (5) estado de alerta para 11 municípios: Boca do Acre, Pauiní, Lábrea, Canutama e Tapauá, na calha do Purus, e Guajará, Ipixuna, Envira, Eirunepé, Itamarati e Carauari, do Juruá. Os municípios de Beruri e Juruá permanecem em estado de atenção.

O secretário executivo da Defesa Civil, coronel Fernando Pires Júnior, informou que o alerta é para orientar as prefeituras a adotar medidas diante de possíveis impactos à população. “O estado de alerta nada mais é do que o aviso para os gestores dos municípios, um alerta para a população ribeirinha de que os níveis dos rios estão abaixo do normal impedindo muitas vezes a trafegabilidade e colocando em situação de risco o abastecimento das comunidades, tanto de alimentos como de combustível”, explicou o coronel.

O Rio Juruá no município de Guajará, por exemplo, está a 35 centímentros (cm) de atingir o maior nível já registrado, que foi de 2,20 cm, em 1995.

Em Ipixuna, a Defesa Civil local informou que precisou fazer um trabalho de remoção de troncos de madeira do rio para restabelecer o tráfego de famílias de 17 comunidades ribeirinhas.

Em Boca do Acre, município de referência do Purus, o nível do rio está em 3,49 cm, faltando 1 metro para alcançar o nível histórico de estiagem registrado há 18 anos, que foi de 4,49 cm.

“Nós já consideramos a seca atípica. Estamos em pleno verão amazônico e o volume de água nas calhas desses rios já está baixo em um período que não deveria estar. Mas nós já estamos preparados junto com as defesas dos municípios para atender, em caso de uma estiagem extrema, as comunidades atingidas”, informou o coronel.

Segundo a Defesa Civil, o estado de alerta é o segundo estágio de um desastre, que pode evoluir para uma situação de emergência, quando há prejuízos significativos.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212