Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Conselho da UE ratifica decisão de não multar Espanha e Portugal - Jornal Brasil em Folhas
Conselho da UE ratifica decisão de não multar Espanha e Portugal


A proposta da Comissão Europeia de não punir Espanha e Portugal, apesar de terem descumprido os objetivos de déficit, foi aprovada pelos ministros das Finanças da União Europeia, anunciou nesta terça-feira o Conselho da UE.

O Conselho aceita não impor multas à Espanha e Portugal por não terem conseguido colocar em andamento medidas eficazes para corrigir seus déficits excessivos, disse o organismo em um comunicado.

O Conselho tinha dez dias, ou seja, até a meia-noite de segunda-feira, para se opor à proposta da Comissão Europeia, apresentada em 27 de julho.

A Comissão propôs anular as multas de ambos os países, medidas que teriam sido contraproducentes num momento em que os povos duvidam da Europa após o Brexit, explicou o comissário europeu de Assuntos Econômicos, o francês Pierre Moscovici.

As sanções poderiam alcançar até 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB) de cada um dos dois países.

Em 2015, o déficit espanhol alcançou 5,1% do PIB, muito mais que o máximo de 3% fixado pelo chamado pacto de estabilidade e que o objetivo de 4,2% estabelecido posteriormente pela Comissão.

Portugal teve, por sua vez, um déficit de 4,4% do PIB no ano passado, quando o objetivo era 3%.

Além disso, o executivo europeu concedeu à Espanha dois anos adicionais na última quarta-feira, até 2018, para situar seu déficit abaixo de 3%.

Para este país, que ainda não formou governo desde as eleições gerais de 26 de junho, a Comissão Europeia recomenda a seguinte trajetória orçamentária: um déficit de 4,6% do PIB em 2016, 3,1% em 2017 e 2,2% em 2018.

Em relação a Portugal, a Comissão exigiu que o país alcance este objetivo ainda em 2016, com um déficit de 2,5% do PIB para este ano.

Dois objetivos que o Conselho da UE, instância que representa os governos dos Estados membros, chamou nesta terça-feira de críveis.

Devem ser adotadas medidas eficazes até o dia 15 de outubro, data na qual os dois países terão que apresentar um projeto de programa orçamentário, disse o Conselho.

A Comissão Europeia comemorou nesta terça-feira a decisão, que atesta uma aplicação inteligente do Pacto de Estabilidade, segundo Moscovici.

Além das multas, a Comissão Europeia tem a obrigação de propor a suspensão total ou parcial do financiamento com os fundos estruturais, que pode chegar a 0,5% do PIB e a 50% das promessas de financiamento para 2017 nos dois países.

A Comissão espera iniciar um diálogo estruturado com o Parlamento Europeu sobre essa questão, que afeta 12 fundos em Portugal e aproximadamente sessenta na Espanha.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212