Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Portugal prepara festa dos 100 anos da aparição de Nossa Senhora de Fátima - Jornal Brasil em Folhas
Portugal prepara festa dos 100 anos da aparição de Nossa Senhora de Fátima


O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou 15 pessoas à Justiça pelo crime de organização criminosa pelo roubo de carga e falsificação de notas de real. O grupo atuava em núcleos, compreendendo articuladores que negociavam cargas roubadas, assim como parte do bando que acondicionava o produto do roubo em depósitos e fazia o transporte após a venda.

O policial militar Jorge Luiz Chatack é acusado de ser um dos responsáveis pelos roubos. A quadrilha concentrava a atuação na cidade de Mesquita, na Baixada Fluminense, e também na zona norte da capital. Outras pessoas do banco confeccionavam notas falsas de real. A quadrilha contava com assaltantes e receptadores para recolocar os produtos no mercado. Três pessoas foram presas nesta segunda-feira (8) e outros quatro já estavam no sistema penitenciário. A denúncia foi recebida pela 7a. Vara Criminal de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Prisões

O policial militar foi preso em flagrante em 2015, quando realizava um roubo qualificado de carga. Outros três integrantes da quadrilha haviam sido presos em 2015 por roubo qualificado e organização criminosa. Com eles, foi apreendido um caderno de anotações, com informações que permitiram o início da investigação e culminaram na operação desta segunda-feira, em parceria com a Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas.

Até o fim da manhã, outras três pessoas foram presas, entre elas Carlos Alberto Alves Coelho (Carlinhos), apontado como o principal articulador do grupo. Ele atuava desde o roubo até o destino final das mercadorias.

Apreensões

Ainda de acordo com as investigações, proprietários de padarias, bares e restaurantes eram receptadores dos produtos roubados. Os policiais civis também prenderam Oswaldo Jorge Pessanha e Marcelo Fontes da Silva. Esses dois são apontados na denúncia como integrantes do núcleo de receptadores das mercadorias.

Foram apreendidas cerca de 4 toneladas de mercadorias, entre carnes, laticínios, azeite e bebidas, no Centro Gastronômico Concha Doce, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

Conforme o Ministério Público, a operação continuará nos próximos dias, com o cumprimento de mandados de prisão e busca e apreensão em outros locais.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212