Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Carteira de Nome Social vai beneficiar mais de 500 transexuais - Jornal Brasil em Folhas
Carteira de Nome Social vai beneficiar mais de 500 transexuais


Qualquer pessoa LGBTT que possua identificação civil em Goiás e resida no Estado pode solicitar a Carteira de Nome Social. Ela pode ser requerida no protocolo da Secretaria Cidadã, na Avenida Universitária, nº 609, no Setor Universitário, em Goiânia. A estimativa das associações LGBTT é que a medida beneficie cerca de 500 transexuais na Grande Goiânia.

Para o interior a solicitação deve ser feita na Superintendência de Direitos Humanos da Secretaria Cidadã, Gerência da Diversidade Sexual, no e-mail:[email protected] O requerente deve apresentar os seguintes documentos: Identidade, CPF, comprovante de residência e duas fotos 3×4, além de dados pessoais como telefone e e-mail. Em 90 dias um grupo de técnicos das secretarias Cidadã e de Segurança Pública irá definir e detalhar o passo a passo da confecção do documento. Para mais informações os interessados podem ligar no telefone (62 ) 3201-8562.

Carteira de Nome Social
A Carteira de Nome Social para a população lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), regulamentada por decreto assinado pelo governador Marconi Perillo, será impressa sem custo, desde que o cidadão possua a identificação civil em Goiás. Não há dados sobre o segmento no interior. Líderes do movimento acreditam que esses números devem crescer consideravelmente, já que sem a documentação oficial e o respeito do poder público, muitos transexuais evitam assumir sua condição.

Na prática, com a Carteira de Nome Social, se uma pessoa que recebeu o nome de João quando nasceu, mas quer ser chamada de Maria, o crachá dela, a folha de ponto e o sistema do órgão onde trabalha devem reconhecê-la assim. Também em prontuários médicos, fichas, cadastros e registros de informações congêneres.

Para a secretária Lêda Borges, o decreto é um instrumento de cidadania. “As pessoas têm o direito de escolha. Temos de reconhecê-las e tirá-las da invisibilidade. Com a Carteira de Nome Social queremos extirpar o preconceito e dar voz ao cidadão, independente da orientação sexual”, acrescenta a secretária Cidadã do Governo de Goiás. “Nos próximos dias vamos nos reunir com equipe de técnicos da Segurança Pública para definirmos os detalhes da emissão. Também vamos continuar ouvindo os líderes do movimento LGBTT para regulamentar essa questão”, acrescenta a secretária.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212