Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Carteira de Nome Social vai beneficiar mais de 500 transexuais - Jornal Brasil em Folhas
Carteira de Nome Social vai beneficiar mais de 500 transexuais


Qualquer pessoa LGBTT que possua identificação civil em Goiás e resida no Estado pode solicitar a Carteira de Nome Social. Ela pode ser requerida no protocolo da Secretaria Cidadã, na Avenida Universitária, nº 609, no Setor Universitário, em Goiânia. A estimativa das associações LGBTT é que a medida beneficie cerca de 500 transexuais na Grande Goiânia.

Para o interior a solicitação deve ser feita na Superintendência de Direitos Humanos da Secretaria Cidadã, Gerência da Diversidade Sexual, no e-mail:[email protected] O requerente deve apresentar os seguintes documentos: Identidade, CPF, comprovante de residência e duas fotos 3×4, além de dados pessoais como telefone e e-mail. Em 90 dias um grupo de técnicos das secretarias Cidadã e de Segurança Pública irá definir e detalhar o passo a passo da confecção do documento. Para mais informações os interessados podem ligar no telefone (62 ) 3201-8562.

Carteira de Nome Social
A Carteira de Nome Social para a população lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), regulamentada por decreto assinado pelo governador Marconi Perillo, será impressa sem custo, desde que o cidadão possua a identificação civil em Goiás. Não há dados sobre o segmento no interior. Líderes do movimento acreditam que esses números devem crescer consideravelmente, já que sem a documentação oficial e o respeito do poder público, muitos transexuais evitam assumir sua condição.

Na prática, com a Carteira de Nome Social, se uma pessoa que recebeu o nome de João quando nasceu, mas quer ser chamada de Maria, o crachá dela, a folha de ponto e o sistema do órgão onde trabalha devem reconhecê-la assim. Também em prontuários médicos, fichas, cadastros e registros de informações congêneres.

Para a secretária Lêda Borges, o decreto é um instrumento de cidadania. “As pessoas têm o direito de escolha. Temos de reconhecê-las e tirá-las da invisibilidade. Com a Carteira de Nome Social queremos extirpar o preconceito e dar voz ao cidadão, independente da orientação sexual”, acrescenta a secretária Cidadã do Governo de Goiás. “Nos próximos dias vamos nos reunir com equipe de técnicos da Segurança Pública para definirmos os detalhes da emissão. Também vamos continuar ouvindo os líderes do movimento LGBTT para regulamentar essa questão”, acrescenta a secretária.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212