Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Carteira de Nome Social vai beneficiar mais de 500 transexuais - Jornal Brasil em Folhas
Carteira de Nome Social vai beneficiar mais de 500 transexuais


Qualquer pessoa LGBTT que possua identificação civil em Goiás e resida no Estado pode solicitar a Carteira de Nome Social. Ela pode ser requerida no protocolo da Secretaria Cidadã, na Avenida Universitária, nº 609, no Setor Universitário, em Goiânia. A estimativa das associações LGBTT é que a medida beneficie cerca de 500 transexuais na Grande Goiânia.

Para o interior a solicitação deve ser feita na Superintendência de Direitos Humanos da Secretaria Cidadã, Gerência da Diversidade Sexual, no e-mail:[email protected] O requerente deve apresentar os seguintes documentos: Identidade, CPF, comprovante de residência e duas fotos 3×4, além de dados pessoais como telefone e e-mail. Em 90 dias um grupo de técnicos das secretarias Cidadã e de Segurança Pública irá definir e detalhar o passo a passo da confecção do documento. Para mais informações os interessados podem ligar no telefone (62 ) 3201-8562.

Carteira de Nome Social
A Carteira de Nome Social para a população lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), regulamentada por decreto assinado pelo governador Marconi Perillo, será impressa sem custo, desde que o cidadão possua a identificação civil em Goiás. Não há dados sobre o segmento no interior. Líderes do movimento acreditam que esses números devem crescer consideravelmente, já que sem a documentação oficial e o respeito do poder público, muitos transexuais evitam assumir sua condição.

Na prática, com a Carteira de Nome Social, se uma pessoa que recebeu o nome de João quando nasceu, mas quer ser chamada de Maria, o crachá dela, a folha de ponto e o sistema do órgão onde trabalha devem reconhecê-la assim. Também em prontuários médicos, fichas, cadastros e registros de informações congêneres.

Para a secretária Lêda Borges, o decreto é um instrumento de cidadania. “As pessoas têm o direito de escolha. Temos de reconhecê-las e tirá-las da invisibilidade. Com a Carteira de Nome Social queremos extirpar o preconceito e dar voz ao cidadão, independente da orientação sexual”, acrescenta a secretária Cidadã do Governo de Goiás. “Nos próximos dias vamos nos reunir com equipe de técnicos da Segurança Pública para definirmos os detalhes da emissão. Também vamos continuar ouvindo os líderes do movimento LGBTT para regulamentar essa questão”, acrescenta a secretária.

 

Últimas Notícias

Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212